Número de mortes na construção civil chega a 18 este ano em SP

Texto: Redação AECweb

Fatalidades deste ano já são o dobro das registradas em 2008, quando 7 mortes aconteceram no setor

16 de outubro de 2009 - O número de mortes em acidentes na construção civil em São Paulo este ano já é duas vezes maior que o registrado em todo o ano de 2008. No ano passado, foram sete mortes, segundo o sindicato dos trabalhadores do setor. Em 2009, já foram registradas 18 - duas delas na quarta-feira (14).

Não é difícil encontrar operários sem equipamentos de segurança. Imagens feitas em uma obra no Tatuapé, Zona Leste de São Paulo, mostram um homem trabalhando na demolição de um prédio a 10 metros de altura, sem nenhum cinto de segurança ou equipamento para travar uma possível queda.

Na quarta, dois operários morreram e quatro ficaram feridos em três acidentes na capital paulista. Em um prédio em construção na Zona Sul, um homem de 57 anos caiu do 19º andar, a cerca de 50 metros de altura. 

"Ele queria passar de um balancim para o outro. Por conta disso aconteceu que ele caiu. Não estava com cinto nem trava-queda, que é preciso para trabalhar em fachada", contou o gesseiro Pablo da Conceição.

No Butantã, na Zona Oeste, a laje de uma casa cedeu e atingiu dois pedreiros. Um deles foi socorrido com ferimentos graves pelo helicóptero Águia, da Polícia Militar, mas morreu no hospital.

Quatro horas depois, outro acidente ocorreu na Vila Pedra Branca, na Zona Norte. Pedreiros e serventes trabalhavam na construção de mais um prédio de uma escola particular. Três operários estavam sobre um andaime. Eles levavam material de construção para o primeiro andar, mas a estrutura de madeira não suportou o peso e cedeu.

Os homens caíram de uma altura de dois metros. Levemente feridos, eles foram levados para hospitais da região. Nenhum dos feridos nos acidentes corre risco de morte.

Fonte: G1 - RJ