Obras da CDHU norteiam discussões em São Caetano

Texto: Redação AECweb

Moradia econômica na cidade do Grande ABC recebe oposição devido a localização do terreno

21 de outubro de 2010 - Um projeto considerado inconstitucional pela Comissão de Justiça e Redação da Câmara de São Caetano, que trata sobre assegurar às famílias de baixa renda assistência técnica gratuita à construção de moradia econômica, provocou discussões acaloradas na sessão de ontem.

Os problemas apontados por vereadores da oposição eram em relação aos problemas quanto à localização do terreno onde a CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), órgão ligado ao Estado de São Paulo, localizado no bairro Prosperidade, região reconhecidamente de grandes adversidades referentes a enchentes, a cerca de 30 metros do Rio Tamanduateí, e o adiamento do sorteio, que era para ter acontecido no início de agosto, no qual há mais de 10 mil inscritos para 97 apartamentos.

"Fizemos um requerimento à CDHU há um mês e eles não responderam, demonstrando desrespeito com esta Casa. Estão levantando os prédios em área de risco e não há nenhum estudo de impacto", alegou o vereador Edgar Nóbrega (PT).

O parlamentar da situação Fábio Palácio (PR) garantiu que uma comissão técnica atestou a viabilidade do terreno. "Eles estão dentro do cronograma. Por que essa questão não foi abordada no ano passado quando o projeto de parceria da Prefeitura foi aprovado neste Legislativo? Já foi realizado um alargamento da ponte de um dos lados e será feito do outro lado também para amenizar essa questão. Infelizmente há vereadores que buscam esses temas em período eleitoral e usam a oportunidade para desqualificar o governo do Estado, apenas por ser comandado pelo PSDB", avaliou o republicano.

O sorteio dos apartamentos foi adiado por conta da demanda e será transferido para local de maior capacidade. "São aspectos que podem ser controlados. O sorteio ocorrerá depois das eleições. Em relação aos alagamentos, o Estado fará o Piscinão Jaboticabal, o maior de São Paulo, na divisa com São Caetano, e que ajudará a escoar a água. Daqui há 18 meses já poderemos ter alguns resultados pelo buraco que será feito, apesar de ainda faltar três anos para ser finalizado e os prédios serem entregues no primeiro semestre de 2011."

Procurada, a assessoria de imprensa do órgão estadual informou que irá se posicionar nesta tarde sobre o encaminhamento do assunto.

Fonte: Diário do Grande ABC - SP