Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Obras de infraestrutura e mercado imobiliário impulsionam comércio de máquinas

Texto: Redação AECweb

Setor alcança 70,5 mil unidades comercializadas e supera a expectativa dos fabricantes em Alagoas

21 de março de 2011 - Com a crescente atividade do mercado imobiliário e a necessidade de realizar obras estruturadoras no País, um dos setores que tem visto suas vendas alavancar é o de máquinas e equipamentos para construção civil. Fabricantes e importadores de maquinários estão suando a camisa para atender a alta procura dos segmentos de construção civil e o de obras de infraestrutura. Ao mesmo tempo em que comemoram resultados recordes, essas companhias apresentam demanda em níveis acima do esperado.

Com um crescimento de 70,5% no volume de vendas em 2010 em relação a 2009, o setor alcança 70,5 mil unidades comercializadas e supera a expectativa dos fabricantes. A proximidade de eventos esportivos como a Olimpíada e a Copa do Mundo devem manter o setor aquecido e, segundo estudos da Associação Brasileira de Tecnologia para Equipamentos e Manutenção (Sobratema), fazer com que em 2011 haja um crescimento de 10,3% nas vendas.

Em Alagoas, a demanda por máquinas pesadas é maior que em muitos estados brasileiros. As construções de casas populares do programa federal Minha Casa, Minha Vida, a reconstrução das cidades atingidas pelas chuvas, a obra da Alça da Flamenguinha, na rodovia AL-105, a federalização e a duplicação da AL-101, a reconstrução da AL-480 e a duplicação da BR-104, além do crescimento imobiliário em Maceió, impulsionam as vendas de equipamentos.

Segundo o gerente da França Caminhões, revendedora exclusiva das máquinas XCMG para o mercado alagoano, Adolpho Goes, diz que 94% das vendas da loja foram direcionadas para o setor da construção civil. "Com 12 anos de experiência no setor de caminhões, resolvemos ampliar nossa atuação e entramos no ramo de vendas de máquinas pesadas há apenas sete meses e nossas perspectivas são as melhores para este ano", destaca. A meta da revenda para 2011 é comercializar 70 máquinas, 467% a mais do que o que foi vendido nos últimos sete meses. As máquinas mais procuradas são as retroescavadeiras, utilizadas para escavação e movimentação de diversos tipos de carga, e as pás carregadeiras, usadas na transferência de curta distância de matérias soltos como lama, pedras, carvão e pó e aplicada em reboque, ou no nivelamento de terreno, pilhas e montes.

Os resultados obtidos pelo setor de equipamentos no ano passado superaram a alta histórica de 2008 - com índice de crescimento de 38% nas vendas. No estudo da Sobratema, a linha amarela, que inclui equipamentos como retroescavadeiras e rolos compactadores, foi a que mais se destacou em 2010, alcançando a marca de 24,9 mil unidades vendidas.

O grupo nordestino Êxito Import/XCMGBrasil, representante máster das máquinas e equipamentos da gigante chinesa XCMG, no ano passado negociou mais de 360 máquinas contra 200 unidades comercializadas durante todo o ano de 2009 e tem realizado regularmente compras de novas máquinas, considerando que a empresa tem 23 revendas autorizadas em todas as regiões do País. Só no ano passado foram descarregadas nos portos do Recife e de Suape, em Pernambuco, 320 máquinas da estatal chinesa, somando mais de 6420 toneladas de equipamentos. Em 2011, já foram importadas 90 máquinas e a expectativa é crescer em torno de 20 a 30% no número de equipamentos comercializados. Nos desembarques, muitos caminhões guindastes, pás carregadeiras, escavadeiras hidráulicas, motoniveladoras, manipuladores telescópicos, tratores de esteira e retroescavadeiras.

A grande demanda do mercado levou a Êxito a instalar no Recife uma central de distribuição de peças para atender às suas 23 revendas autorizadas em todo o Brasil, incluindo a França Caminhões, em Alagoas. O CD conta com o suporte de mais de 14 mil peças de reposição, dando suporte rápido e ágil aos clientes da marca quando necessários consertos de equipamentos. "Uma máquina parada gera prejuízos para as empresas de locação e altos custos para as construtoras civis e empresas de engenharia de obras estruturadoras. O centro logístico garante maior rapidez na entrega e na reposição de peças", assegura o gerente comercial da Êxito, Henrique Pereira. Só em peças foram investidos US$ 2 milhões.

A marca asiática é uma das principais fornecedoras de máquinas para o setor de construção civil do Estado. "Para se ter uma ideia, cerca de 80% dos guindastes em operação no Complexo de Suape, em Pernambuco, são da XCMG", destaca Pereira. A construção civil, segundo ele, é um dos principais segmentos de atuação da companhia, juntamente com mineração, obras rodoviárias, agronegócio, indústria e madeireiras. De 2007 até o ano passado, a importadora apresentou crescimento de 300%. [www.xcmgbrasil.ind.br].

Fonte: Portal Fator Brasil - RJ


 

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: