Para as empresas do setor de construção a Copa de 2014 no Brasil já começou

Texto: Redação AECweb

Busca por excelência e inovações estão agitando o mercado no país

15 de julho de 2010 - A indefinição que envolve as adaptações dos estádios brasileiros às exigências da FIFA para a Copa do Mundo de 2014 no Brasil vem movimentando os setores de infraestrutura e construção civil no País. Alheios a polêmica e cientes de que a demanda será grande, independente de qual sejam as decisões do órgão maior do futebol, empresas estão se preparando para atender as necessidades, buscando excelência e apresentando ao mercado novidades.

"O segmento está agitado e empolgado", afirma Cláudia Godoy, diretora geral da UBM Sienna, empresa responsável pela realização da 4ª edição da Concrete Show South America, a maior e mais representativa feira sobre tecnologia em concreto para construção civil da América Latina. O evento será realizado entre os dias 25 e 27 de agosto em um total de 36.400 m² de área de exposição in door e out door do Transamérica Expo Center, em São Paulo.

"A realização da Copa do Mundo no Brasil já promove um grande desenvolvimento para os setores de infraestrutura e construção civil. A feira será o momento ideal para se ter uma base como anda esse processo", destacou Cláudia. As estimativas iniciais prevêem que a competição exigirá investimentos de R$ 59,5 bilhões, nas diversas áreas, dos quais os estádios e seus entornos representarão cerca de 10% desse total. Esses recursos serão aplicados, também, em mobilidade urbana (metrô, corredores de ônibus, veículos leves sobre trilhos), e interurbana, especialmente em aeroportos (R$ 5,4 bilhões) e no trem-bala São Paulo-Rio de Janeiro (R$ 30 bilhões).

Fonte: Portal Fator Brasil - RJ