Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Pesquisa aponta desaceleração do setor

Texto: Redação AECweb

PIB da construção deve crescer 6% em 2011, após ter atingido expansão de 11% em 2010

10 de janeiro de 2011 - Com a indústria de materiais de construção operando a 91,1% da capacidade instalada (dado mais recente de novembro), as vendas e os lançamentos de imóveis se mantendo em patamares recordes, assim como o crédito imobiliário, é natural que haja uma leve desaceleração no desempenho do setor. Pesquisa divulgada pelo SindusCon-SP aponta que o PIB da construção deve crescer 6% em 2011, após ter atingido expansão de 11% em 2010. Considero esse crescimento excelente se levarmos em conta a base da qual ele está partindo. E o crédito imobiliário, que deve continuar crescendo forte, será primordial para o setor no próximo ano, diz Ana Maria Castelo, consultora da FGV Projetos.

As estimativas da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) também apontam para uma desaceleração nas vendas, com crescimento de 12% este ano ante a alta de 15% esperada em 2010. Caso a desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para material de construção não fosse prorrogada por mais um ano, a entidade projetava um avanço ainda menor nas vendas em 2011, entre 8% e 10%. A continuidade do benefício foi anunciada no final de novembro.

Para Eduardo Zaidan, diretor de economia do SindusCon-SP, a melhora no ambiente de negócios visando o ganho de produtividade é fundamental para a continuidade desse crescimento. Produzir no Brasil não é uma tarefa fácil. É preciso reduzir encargos, aperfeiçoar marcos regulatórios e reduzir a burocracia no licenciamento, afirma Zaidan, ao defender que as obras de 2011 já estão basicamente contratadas e portanto não devem ocorrer mudanças significativas nesse cenário.

Fonte: Folha de Londrina - PR

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: