PIB da construção se mostra abaixo do nacional em 2013

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

CBIC apontou que o PIB deve crescer 2%

22 de novembro de 2013 - A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) estimou em 20 de novembro que o PIB do setor deve crescer 2% em 2013%, enquanto o PIB do país deve atingir taxa de 2,5%. Já para o próximo ano, as estimativas são de alta entre 3% e 4% para a construção e de 2,5% para o PIB nacional.

Em encontro com membros da Rede da Construção, em Brasília, José Carlos Martins, vice-presidente da entidade, ressaltou que nos últimos dez anos o estoque de trabalhadores da construção triplicou, mas há muito por fazer: falta investimento privado e a economia precisa ser mais competitiva. Para isso, é preciso capacitação. “Pretendemos contratar mais e a qualidade dessa mão de obra agora será prioridade”, afirmou.

Sobre o futuro do programa Minha Casa, Minha Vida, Martins disse esperar que haverá continuidade. “Neste ano, o MCMV representou 32,1% das construções de habitações no país. A cada R$ 1 milhão investido no programa, são gerados 32 postos de trabalho e uma renda adicional de R$ 744 mil, de forma direta ou indireta, na construção civil e em outros setores”, acrescentou.

Custos, prazos longos e a insegurança jurídica continuam entre os principais gargalos do setor, na opinião de Martins. Com relação ao tema concessões, ele considerou ser preciso definir regras claras e confiáveis. “Essa é uma grande oportunidade que o Brasil tem agora”, disse. Se as concessões anunciadas acontecerem, segundo Martins, a taxa de investimento, que hoje está em cerca de 18% do PIB, deve chegar a 24% em 2022.

Em seu pronunciamento, o presidente da CBIC, Paulo Simão, revelou a expectativa de que a presidente Dilma Rousseff anunciaria detalhes da terceira etapa do Minha Casa, Minha Vida durante a abertura da 5ª Conferência Nacional das Cidades. No evento, porém, a presidente revelou que a nova fase está “em estudo”. Segundo Simão, ainda não é possível apresentar estimativas para essa nova fase.

Fonte: Sinduscon – SP