Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Poder público estuda parceria para restauração do prédio da Unespar

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Localizada na região central de Curitiba, a edificação construída em 1930 foi a primeira sede da Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap)

Restauração Unespar
Com cerca de 1,2 mil m² de área construída, o prédio é uma Unidade de Interesse de Preservação (Foto: Geraldo Bubniak/AEN)

22/10/2021 | 12:14 – O Governo do Estado e a Prefeitura de Curitiba estão estudando uma parceria para que seja executada a restauração do prédio da Universidade Estadual do Paraná (Unespar). Localizada na região central da cidade, a edificação construída em 1930 foi a primeira sede da Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap). A revitalização pretende transformar o espaço em um ambiente para difusão da cultura e da arte, reestabelecendo os trabalhos do campus. “Depois de revitalizado, o local continuará promovendo educação e informação para a comunidade, conectando aspectos da ciência e da cultura”, ressalta Aldo Nelson Bona, superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná.

Com cerca de 1,2 mil m² de área construída, o prédio da Unespar é uma Unidade de Interesse de Preservação (UIP). As obras de restauração serão realizadas por meio de mecanismos de potencial construtivo. De acordo com a legislação do município, é permitida a comercialização do potencial no mercado da construção civil — sem interferência da Prefeitura — com a possibilidade de aplicação de valores de venda na realização de obras e projetos de restauro.

O potencial construtivo é de 6.043,16 m², número calculado pela multiplicação entre a área total e o coeficiente de ocupação do endereço (estabelecido de acordo com a Lei de Zoneamento e Uso do Solo). O resultado desta conta é somado à área edificada.

O projeto de restauração é apoiado por Rafael Greca, prefeito de Curitiba, que considera que o prédio pode ser um símbolo nas comemorações dos 200 anos da Independência do Brasil, que serão celebrados em 2022. “Vemos essa edificação como efetivo patrimônio cultural do Paraná e temos muito interesse na volta desse espaço”, afirmou.

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: