Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Poupança deve financiar mais de meio milhão de moradias no país este ano

Texto: Redação AECweb

Projeção é de um crescimento de 29,3% em crédito, com o financiamento de cerca de 585 mil unidades.

03 de janeiro de 2011 - As previsões, pra lá de otimistas, se confirmaram ao longo de 2010. A expectativa é de que o ano tenha terminado com 450 mil imóveis financiados apenas com dinheiro da poupança, gerando R$ 53 bilhões em empréstimos para a compra da casa própria. Um montante que supera em 55,8% o de 2009, segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). Para este ano, a projeção é de um crescimento de 29,3% em crédito, com o financiamento de cerca de 585 mil unidades.

“Hoje, por mês, são concedidos mais de R$ 3 bilhões em crédito, o que corresponde ao volume registrado, por exemplo, em todo 2004. Creio que, em 2014, o crédito imobiliário terá chegado a 11% do PIB (hoje está em 3%), com uma carteira da ordem de R$ 520 bi”, diz Luiz Antonio França, presidente da Abecip.

A previsão da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio), por sua vez, estima que o número de lançamentos no estado tenha crescido 25% em 2010. Uma alta puxada, principalmente, pela classe de renda baixa, por imóveis de até R$ 150 mil, informa seu presidente, Rogério Chor:

“O ano ficou marcado pela diversificação dos investimentos feitos pelas empresas. O mercado hoje está mais esparramado, com lançamentos sendo feitos em regiões que há tempos não recebiam um empreendimento. É o caso de São Cristóvão, Campo Grande, Baixada Fluminense e Itaboraí”, afirmou.

E como será 2011?

“Devemos crescer entre 10% e 15%. Dificilmente vamos repetir 2010. Este é um ano que deverá ser marcado por grandes obras de infraestrutura na cidade”, afirma Chor.

Só na cidade do Rio, o número de unidades residenciais lançadas em 2010 deve chegar a 15 mil, contra 11.208 do ano anterior. A Barra se mantém na liderança, com 2.534 imóveis, seguida de perto por Campo Grande, com 2.419; e por Jacarepaguá, com 1.951 unidades.

Em sexto lugar no ranking da Ademi, a Tijuca foi o bairro que mais se destacou no ano, na avaliação do vice-presidente do Secovi Rio, Leonardo Schneider. Até o fim de novembro, a região teve 581 unidades lançadas, 45,2% a mais do que em 2009. “Houve um resgate do bairro a partir da chegada da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). As construtoras correram atrás de terrenos e o carioca correspondeu. Lançamentos foram vendidos em tempo recorde”, disse.

Fonte: Globo Online - RJ

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: