Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Praça Roosevelt, no centro de SP, passará por requalificação para ganhar mirante

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

A iniciativa propõe a transformação do espaço em um ambiente referência em preservação ambiental e ampliação da biodiversidade

foto aérea da região da praça roosevelt no centro de sp
A iniciativa propõe a transformação do espaço em um ambiente referência em dois quesitos: o de preservação ambiental e o de ampliação da biodiversidade (Foto: Nelson Antoine/Shutterstock)

17/05/2022 | 15:05 – Na última terça-feira (17), a Prefeitura de São Paulo anunciou, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento (SMUL) e da SP Urbanismo, um projeto de requalificação da Praça Roosevelt, no centro da cidade.

A iniciativa propõe a transformação do espaço em um ambiente referência em dois quesitos: o de preservação ambiental e o de ampliação da biodiversidade. Para isso, além das reformas e transformações de pontos específicos da região, a Prefeitura adicionará um mirante à praça.

Apesar do comunicado para o Certame Licitatório — procedimento de compra que os órgãos públicos precisam obedecer para firmar seus contratos — para a contratação de projetos básicos, projetos executivos e execução das obras ter sido publicado na terça-feira, no Diário Oficial, a abertura das propostas acontecerá no dia 7 de junho.

Belvedere Roosevelt

A iniciativa foi batizada de Belvedere Roosevelt e propõe a requalificação da área a partir de mais de uma transformação. De maneira geral, o intuito é valorizar a vista da ligação Leste-Oeste, que conecta as vias Amaral Gurgel, Elevado Presidente João Goulart e Viaduto Júlio de Mesquita Filho, criando, assim, um mirante. Essa área da praça encontra-se, atualmente, sem utilização.

Para alterar esse cenário, a SP Urbanismo sugeriu a criação de um local com elementos de Infraestrutura Verde e Soluções Baseadas na Natureza (SbNs). Os elementos, acompanhados das medidas previstas no projeto, são:

  • A implantação da técnica conhecida como fitorremediação na escadaria lateral da praça, que leva ao sacolão Avanhandava;
  • A criação de espaços de lazer com arquibancada;
  • A instalação de iluminação qualificada;
  • A aplicação de um novo piso;
  • A utilização de energia renovável no funcionamento da praça, através da instalação de placas solares e uma turbina eólica;
  • A requalificação de calçadões adjacentes e calçadas do Centro Histórico;
  • A reforma do Vale do Anhangabaú e do Parque Augusta – Prefeito Bruno Covas; e
  • O início do Programa Requalifica Centro, que incentiva o retrofit de prédios antigos da região.

A fitorremediação, em específico, prevê a redução da poluição do solo, água e ar, através da criação de jardins de chuva, ao absorver e filtrar a água. Além disso, as iniciativas procuram alternativas sustentáveis em todas as etapas do procedimento, ao pressupor a utilização de entulhos de obras no desenvolvimento da reforma.

A expectativa é que essas iniciativas propiciem modificações capazes de tornar o centro de São Paulo um ambiente qualificado o suficiente para atrair investimentos e estimular a melhoria da região pelos proprietários dos edifícios locais — começando pela restauração de fachadas, por exemplo.

Para orientar esse progresso, a SP Urbanismo desenvolveu o Manual do Centro Histórico — que pode ser acessado ao clicar aqui.

Os projetos e a própria obra serão custeados pelo Fundo de Desenvolvimento Urbano (FUNDURB). O prazo de vigência do contrato decorrente da licitação será de 9 meses.

Para acessar o Edital de Licitação Pública e seus Anexos, clique aqui.

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: