Preço de imóvel usado cai 3,5% na cidade de São Paulo

Texto: Redação AECweb

Quantidade de locações também registra queda, mas o valor do aluguel teve ligeiro aumento

07 de dezembro de 2010 - Os preços de imóveis usados na cidade de São Paulo ficaram 3,53% mais baratos em outubro, segundo levantamento de preços do Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo) divulgado na última segunda-feira (6).

Em setembro, as casas e apartamentos usados tiveram alta de preços de 5,81%. A pesquisa do Creci-SP leva em conta a média de preços de todas as operações de venda em 529 imobiliárias da capital paulista.

Assim como os preços, as vendas de moradias usadas também tiveram queda. Em outubro, foram negociados 212 imóveis, número que representa uma redução de 25,59% em relação a setembro na comercialização desse tipo de imóvel na cidade de São Paulo.

O presidente do Creci-SP, José Augusto Viana Neto, afirmou que o mercado alterna períodos curtos de alta com períodos de baixa nas transações de imóveis usados. Ele explica que ainda falta crédito suficiente no mercado para manter o bom nível de vendas. “A ampliação e a participação regular do financiamento, em condições mais acessíveis de juros e encargos, é que vai dar a estabilidade de mais longo prazo desejada para o mercado de imóveis usados”.

Segundo a pesquisa do Creci-SP, 55,66% das vendas foram realizadas nas regiões mais nobres e caras da cidade, onde estão bairros como Campo Belo e Pompéia.

A valorização dos imóveis nessas regiões ajuda a explicar porque os imóveis usados de valor superior a R$ 200 mil são os mais vendidos na capital paulista desde junho de 2008 - em outubro, 71,65% das casas e apartamentos usados ultrapassaram esse valor.

De acordo com o Creci-SP, os compradores de casas e apartamentos nessa faixa de valor dependem menos do crédito imobiliário do que o segmento popular.

Apartamentos dominam vendas

Dos 212 imóveis usados vendidos em outubro na capital paulista, 72,17% eram apartamentos e 27,83%, casas, segundo o Creci-SP. A maior parte dos compradores - 58,49% - preferiu pagar o imóvel à vista. Por outro lado, 38,68% dos novos proprietários só compraram o imóvel usado graças ao financiamento de bancos.

Locações

A quantidade de novos contratos de aluguel fechados também recuou em outubro, embora o preço para morar nesses imóveis tenha subido. Segundo o Creci-SP, houve uma queda de 6,23% nas novas locações na comparação a setembro, enquanto os valores praticados subiram 0,73%.

Há uma pequena preferência pelo aluguel de casas - 50,06%, contra 49,94% dos apartamentos. Os imóveis mais alugados em outubro na cidade de São Paulo foram aqueles com valor mensal de até R$ 800.

Fonte: R7 - SP