Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Prédio do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP terá estrutura de madeira

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

A construção de madeira lamelada colada será uma das primeiras do país a constituir um edifício público

foto do projeto do IAB
A madeira passa por um processo de industrialização, com produtos que protegem do fogo, água, cupins e outras pragas, e são entregues prontas de fábrica para serem montadas no local (Foto: IAB/Reprodução)

25/10/2022 | 14:15 – O Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAB) da USP anunciou que construirá um novo edifício público. O diferencial do projeto, idealizado pelos alunos, professores e profissionais relacionados ao curso de Arquitetura e Urbanismo, em parceira com a empresa Base Urbana, é o material utilizado na construção para substituir o concreto — a madeira lamelada colada.

O novo prédio será um dos primeiros edifícios públicos com estrutura de madeira do país. Com previsão de conclusão em 20 meses, a técnica, em que os projetistas optam pela utilização de madeira, oriundas de áreas de reflorestamento e manejo controlado, tem ganhado espaço no Brasil.

Para isso, a madeira é tratada. Ela passa por um processo de industrialização, com produtos que protegem do fogo, água, cupins e outras pragas, e são entregues prontas de fábrica, para serem montadas no local. Uma das técnicas para a edificação, que será utilizada no IAU, é a madeira lamelada colada — em que as tábuas são unidas com cola industrial e dispostas de forma paralela, formando uma estrutura extremamente resistente.

“Com uma técnica nova no Brasil e investimento baixo, a ideia era de que a própria arquitetura fosse pedagógica. Assim, os alunos observam todos os dias o que aprendem em aula, e não apenas encontram um prédio novo”, explica Catherine Otondo, uma das arquitetas responsáveis pelo projeto. “É uma oportunidade de traduzir a pesquisa do IAU e contribuir para o avanço da indústria dessa técnica, que permite a construção de ótimos edifícios com pouco investimento”, ela completa.

As construções com estrutura de madeira têm ganhado espaço no Brasil recentemente, principalmente em vista da necessidade de obras seguras e sustentáveis. O mercado da construção civil é responsável por 39% do total global de emissões, incluindo o dióxido de carbono proveniente da produção de energia necessária para as obras, segundo dados da ONU Environment.

O projeto do IAU, entretanto, não é inédito no Brasil. Outros grandes edifícios já possuem o material como constituinte principal das estruturas, a exemplo da loja Dengo, em São Paulo, que abriga o primeiro prédio de vários pisos de madeira do país.

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: