Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Prédio-sede da Coca-Cola está cada dia mais verde

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Edifício é o primeiro comercial da cidade do Rio a receber o selo Leed de edifícios já existentes

25 de novembro de 2013 - A fachada continua a mesma, mas internamente, quanta diferença. As áreas de trabalho ganharam mais espaço para circulação, o mobiliário foi trocado por peças feitas com madeira certificada, e a iluminação também mudou. Tudo em nome da sustentabilidade.

O resultado é que o prédio-sede da Coca-Cola Brasil é o primeiro comercial da cidade a receber o selo Leed de edifícios já existentes. Construído em 1972, o prédio, na Praia de Botafogo, está em obra desde 2011, sempre mantendo a rotina de seus 500 funcionários.

Até agora, 75% das obras foram feitos. A conclusão só no ano que vem. Pode parecer um processo lento, mas é fundamental, já que o bem-estar dos funcionários é um dos objetivos da certificação.

- Para garantir isso, cada andar é reformado por vez, realocando os funcionários para os andares já reformados. As etapas mais impactantes sào realizadas de madrugada, assim como a logística de transporte e estocagem dos materiais de construção - conta Josemar Picanço, gerente de Meio Ambiente da Coca-Cola Brasil.

Também em nome desse bem-estar, as áreas de circulação foram ampliadas e as baias de trabalho foram rebaixadas, o que aumenta a incidência de luz natural dentro desses ambientes e ajuda a economizar energia.

Esse é, aliás, um dos pontos fundamentais nesse tipo de obra. Para garantir a certificação - que, no caso de construções antigas, preconiza a eficiência operacional do edifício, minimizando custos e impacto no meio ambiente - é preciso reduzir em cerca de 30% o consumo de energia, em relação à média de edificações similares. Para isso, além da troca das lâmpadas por modelos mais eficientes, houve mudança no sistema de ar-condicionado e a fachada, que é de vidro, ganhou uma película para minimizar a passagem de calor diminuindo a necessidade do uso de ar-condicionado.

Com o mesmo intuito, a cobertura do prédio, que antes abrigava um heliporto, foi toda pintada de branco, para refletir a luz solar. O espaço também serve agora a outro importante ponto de atenção na busca da certificação: a economia de água. É que foi instalado ali um sistema de captação de água da chuva, que agora é reutilizada nos banheiros da companhia. Louças e metais eficientes também foram instalados para ajudar na meta de atingir até 33% de economia da água utilizada em banheiros e vestiários.

Mas as obras também incluíram mudanças na logística da empresa. A central de reciclagem foi ampliada e agora separa e limpa todos os resíduos produzidos no prédio. Com isso, até 50% do lixo vêm sendo reaproveitados. Além disso, os insumos usados vêm de fornecedores sustentáveis.

Fonte: O Globo

 

 

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: