Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Prefeitura de SP publica o edital para concessão do Complexo do Pacaembu

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

O documento está em consulta pública e deverá receber comentários e sugestões pelos próximos 15 dias. O ganhador deverá assumir o complexo por 35 anos.

 

O edital de concessão do complexo do pacaembu prevê que a iniciativa privada assuma o complexo por 35 anos
A Prefeitura de São Paulo deve ganhar R$ 402 milhões com a concessão. (crédito: Paulo Vilela/shutterstock)

03/04/2018 | 17:45 – A Prefeitura de São Paulo lançou o edital de concessão do complexo do Pacaembu – que inclui o estádio e o centro poliesportivo. O documento está disponível para receber sugestões e comentários. A versão definitiva deverá ser publicada no dia 24 de abril.

De acordo com o edital, o valor mínimo da proposta é R$ 12,4 milhões. Assumirá o complexo por 35 anos, aquele que apresentar o maior valor. O concessionário tem a obrigação de reformar o estádio, incluindo os sistemas elétrico e hidráulico, de telecomunicações, vestiários, pistas de atletismo e assentos das arquibancadas, além de implantar geradores com painel de transferência automática e construir novos sanitários.

Segundo a Prefeitura, o acesso ao complexo continuará sendo livre e gratuito e as atividades realizadas pela Secretaria de Esportes deverão ser mantidas. Jorge Damião, secretário municipal de Esportes e Lazer, informou que o Pacaembu vai continuar sendo um estádio de futebol, mas terá seu leque de funcionalidades ampliado.

Somente no ano passado, o poder público gastou R$ 8,9 milhões com a manutenção do estádio – bem acima dos R$ 2,46 milhões de receita. De acordo Wilson Poit, secretário de Desestatização e Parcerias, boa parte do investimento deve-se a estrutura antiga, com mais de 70 anos, do prédio. “É preciso uma grande reforma, porém a administração pública não dispõe desses recursos. A iniciativa privada, além de cuidar da gestão, vai investir até R$ 200 milhões no local. Teremos um patrimônio da cidade completamente revitalizado”, completa. A Prefeitura de São Paulo deve embolsar R$ 402 milhões com a concessão.

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: