Previ eleva investimentos em imóveis

Texto: Redação AECweb

Fundo de pensão dos funcionários do BB avalia que o setor tem potencial para crescer, impulsionado pela Copa do Mundo e Jogos Olímpicos

09 de outubro de 2009 - A Previ vai quase dobrar sua participação em investimentos no setor imobiliário em relação ao seu patrimônio nos próximos cinco anos, devendo saltar de 2,7% para 5%.

O maior fundo de pensão do país, dos funcionários do Banco do Brasil, avalia que o setor tem um potencial enorme para crescer impulsionado inclusive, por eventos esportivos como Copa do Mundo e Jogos Olímpicos.

Para garantir e atrair novos investidores, a Previ lançou ontem seu Código de Governança Corporativa para o setor, onde defende a criação de um órgão regulador para esse segmento econômico, como destacou seu diretor de Participações, Joílson Rodrigues Ferreira.

Ao discorrer sobre os novos investimentos da fundação no setor imobiliário, que pelas novas regras de investimento dos fundos pode agora investir até 8% do seu patrimônio, Ferreira destacou que o foco será em imóveis comerciais. Por esta razão, não pretende investir nas Olimpíadas ou na Copa na construção de estádios, mas sim adquirir áreas comerciais dentro ou próximas a estes estádios, pois precisa fazer investimentos que deem retorno mais rápido para cumprir suas obrigações com seus participantes.

Mas está aberta a entrar investindo na área de transporte para melhorar a infraestrutura da cidade para a Olimpíada por meio da Invepar, um consórcio para investimentos nesse ramo de infraestrutura formado pela Previ, com 50%, e o restante dividido entre as fundações Petros, da Petrobras, Funcef, da Caixa Econômica e a construtora OAS.

A Invepar controla o metrô do Rio e Ferreira informou que poderá expandir a linha 1 até a Gávea e a linha 2 da Pavuna, ligando-a diretamente a Botafogo, na zona sul. Também poderá participar da construção da linha do metrô que vai até a Barra da Tijuca.

Esta linha já foi licitada e ganhou a construtora Queiroz Galvão, mas a Invepar pode entrar no negócio de Veículos Leves sobre Trilhos (VLT), depende se a licitação for para construir e operar estes veículos. "Se for feita a licitação só para ônibus não é o nosso modelo".

Hoje a Previ tem mais de 80 imóveis espalhados por todo o país, com destaque para shoppings, imóveis comerciais, dentre outros. Só shoppings a Previ tem 14 espalhados pelo país. E pretende continuar entrando neste negócio como novas participações ou ampliações nas já existentes.

Os locais onde a Previ vai investir em shoppings são Rio, São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador e interior de São Paulo. O fundo de pensão adquiriu recentemente uma torre de dois andares em Brasília chamada Parque da Cidade e tem direito de preferência em outra torre. No Rio, está fazendo uma restauração de um prédio comercial no Centro da Cidade, chamado Marques dos Reis.

A novidade é que a fundação pretende, em princípio, sair do segmentos de hotéis, pois de acordo com Ferreira, ele é muito complexo e a Previ não tem muita expertise para lidar com hotelaria. Recentemente, a Previ vendeu o hotel Meridien, no Rio, e tentou se desfazer do complexo hoteleiro de Sauípe, na Bahia, sem sucesso. A solução foi implantar nova gestão no resort e aguardar o resultado da nova administração em 2010.

Fonte: Valor