Projeto de passarela não precisa prever impacto

Texto: Redação PE

A passarela que desabou nesta terça-feira na Linha Amarela, após ser atingida por um caminhão cuja caçamba estava levantada, não tinha necessariamente que ser construída prevendo um impacto daquela natureza. Segundo o presidente do Clube de Engenharia, Francis Bogossian, não há estruturas semelhantes construídas no Rio considerando a possibilidade de um acidente desse tipo, até porque, numa via expressa como aquela, é proibido o tráfego de veículos de altura superior à da que ruiu, que tinha 4,5 metros e 42 de extensão.

"Não sou calculista, mas projetar uma passarela para resistir a um impacto como esse é como projetar um prédio com capacidade de se manter firme ao ser atingido por um avião, como aconteceu com as torres gêmeas de Nova York, em 2011. Ela até poderia ter sido pensada para aguentar o baque, mas isso aumentaria muito o custo", diz ele.

Fonte: O Globo