Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Redução de IPI pode ter prazo ampliado

Texto: Redação AECweb

Guido Mantega diz que vai estudar a reivindicação da construção civil

9 de Abril de 2009 - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, prometeu estudar a reivindicação da indústria da construção civil que pretende ampliar o prazo da vigência da desoneração do Imposto de Produtos Industrializados (IPI) para materiais do setor e incorporar novos itens à lista de produtos com imposto reduzido, anunciada recentemente pelo governo. A informação foi dada pelo presidente da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), Melvyn Fox, que participou da reunião do Grupo de Acompanhamento da Crise (GAC), na tarde de ontem na sede do ministério da Fazenda.

A entidade solicitou que a vigência do prazo do imposto reduzido seja estendida de três meses para um ano ou 18 meses. Assim, a medida atenderia os ciclos de maturação das obras de construção civil, que abrangem de seis meses a um ano. Fox pretende obter junto ao governo a inclusão de produtos como vidros, gesso, tomadas, resistências e duchas de chuveiro na relação de itens beneficiados pela redução do imposto.

Segundo Fox, a medida de desoneração do IPI para o setor ainda está incompleta. O presidente da Abramat considera que falta regulamentar a redução do imposto para três itens: revestimentos de cerâmicas, cadeados e materiais elétricos.

Durante a reunião, o secretário de Política Econômica do ministério, Nelson Machado, informou que a equipe econômica já estuda a desoneração de IPI para toda a linha de cerâmica. A resposta sobre tais medidas em estudo seria dada até segunda-feira, complementou o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), Paulo Safady Simão.

Fonte: Gazeta Mercantil - SP

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: