Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Regional da Caixa bate novo recorde em verbas habitacionais

Texto: Redação AECweb

Cidade de Campinas tem mercado imobiliário cada vez mais aquecido

13 de setembro de 2010 - O mercado imobiliário no Brasil está cada vez mais aquecido e na região metropolitana de Campinas (RMC) também. Esse avanço é constatado pelo bom desempenho registrado pela Caixa Econômica Federal (CEF), que bateu recorde em financiamento habitacional envolvendo todas as modalidades de crédito oferecidas pela instituição financeira, como o Fundo de Garantia do tempo de Serviço (FGTS), o Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) e o programa "Minha Casa, Minha Vida" (MCMV).

De janeiro a 3 de setembro deste ano, a Caixa aplicou em habitação R$ 47,6 bilhões, montante maior que todo o valor aplicado em 2009, que foi de R$ 47,05 bilhões. Se comparado ao registrado no mesmo período de 2009, quando foram emprestados R$ 25,2 bilhões, o crescimento chega a 87,6%. O balanço também mostra que o número de contratos de 2010 (773.247) já representa 86,2% do total atingido em 2009 (896.762).

Na regional da Caixa Econômica Federal em Campinas, que abrange 23 municípios, o montante financiado pela Caixa em 2010 para a casa própria já chegou a R$ 1,3 bilhão, do qual R$ 643 milhões foram investidos no programa MCMV. Na RMC 18.107 famílias foram beneficiadas, 8.532 das quais pelo MCMV. O valor financiado na RMC de janeiro a 3 de setembro deste ano superou 170% o de igual período de 2009, de R$ 480 milhões, e apresentou um crescimento de 32,65% em relação ao valor total financiado em 2009, que foi de R$ 980 milhões. A ser mantido esse ritmo até o final do ano, a expectativa acerca do volume habitacional da Caixa na RMC atingirá os R$ 2 bilhões.

O número de contratos de 2010 já é de 18 mil, superando em pouco mais de 100% todo o número de contratos fechados em 2009 -18 mil. Na comparação com igual período do ano passado, quando foram fechados 10.218 contratos, o número de contratos cresceu 76%.

Esforços

O superintendente regional da Caixa em Campinas, Paulo José Galli, disse que a equipe da regional vai centralizar esforços para atingir esta meta em todos os setores "Nós temos hoje condições, capacidade, processo e sistema para trabalhar. Nós estamos fazendo um esforço grande com as prefeituras para contratar no programa Minha Casa, Minha Vida de 0 a 3 salários mínimos. Devemos ter contratação em vários municípios da região. Acho que até o fim do ano nós conseguiremos."

Segundo Galli, a ideia é trabalhar também a faixa de 3 a 10, mas essa demanda já é mais natural. "Ela normalmente já vem do mercado para nós, pois, como o mercado está crescendo, as incorporadoras e as construtoras trazem esta demanda para nós, então eu já tenho um volume grande em análise aqui. No recurso de poupança também, que é para a classe média alta, o volume de projetos também está bastante grande", diz.

Paulo Galli anunciou também que já há empreendimentos contratados na faixa de zero a três salários em Hortolândia e em Campinas e disse que na cidade de Campinas deve ocorrer, no mês de novembro, a entrega de um condomínio de 480 unidades, no Campo Grande.

Fonte: DCI - SP

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: