Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Relevância da eficiência energética se mostra presente em conferência

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Greenbuilding 2013 abordará o tema. Até 2022, Brasil deve receber US$ 36,6 bilhões em investimentos de smart grid. Atualmente, 14,7% do total da energia produzida no Brasil é dissipada no processo de distribuição

21 de março de 2013 - Em dezembro do último ano, o governo federal passou a propor a diminuição do valor da conta de energia em todos os estados brasileiros. Instalou-se então uma discussão nacional a respeito dos gastos com energia elétrica. O mercado nacional de energia movimenta anualmente R$ 120 milhões (2,2% do PIB). Mas, de acordo com o site da IBM, empresa mundial de tecnologia e inovação, 14,7% do total da energia produzida no Brasil é dissipada no processo de distribuição. Esse percentual, comparado com informações da própria Agência Nacional de Energial Elétrica (Aneel), chega a cerca de R$ 8,1 bilhões, se forem contabilizados, além das perdas naturais, também os impostos que deixam de ser cobrados. Para reduzir esse desperdício, especialistas buscam tecnologias para o aproveitamento máximo da produção, a chamada eficiência energética.  Essa é uma das principais questões no mercado e também debate de ponta na 4ª Greenbuilding Brasil - Conferência Internacional & Expo, realizada pelo Green Building Council Brasil, organizado e promovido pela Reed Exhibitions Alcantara Machado. Em sua próxima edição o evento receberá 1.600 congressistas e 7.400 visitantes.

O assunto já esteve presente na 3ª edição do evento, quando Andrea Traber, diretora de Práticas Sustentáveis para as Américas da DNV KEMA Energy & Sustainability, empresa que contabiliza cases de comunidades em grandes metrópoles com gasto zero de energia e nível zero de emissão de poluentes. Com um medidor mais informativo e redes de distribuição inteligentes, torna-se possível a economia na conta de luz, assim como conhecimento sobre quais itens gastam mais energia em casa e estabelecimentos comerciais. Em Pernambuco, por exemplo, a concessionária Celpe implantou em setembro de 2012 uma nova rede Metro Ethernet, compatível com smart grid.

A Aneel prevê que o uso compulsório dos novos medidores deve começar a partir de 2014.

Felipe Faria, diretor-gerente do GBC Brasil acredita que “a adoção de tecnologias visando eficiência energética nos empreendimentos traz diversos benefícios econômicos e ambientais para os proprietários, ocupantes e sociedade como um todo”. Faria aponta que, atualmente, as edificações consomem 44% de toda eletricidade produzida no país. Para obter 30% de economia em energia elétrica, não são necessários altos investimentos, tanto em edificações certificadas, bem como aquelas que seguiram práticas de construção sustentável desde o início do projeto. “Para o governo, é eficaz, mais rápido e barato investir em eficiência energética do que em produção de energia. A Greenbuilding Brasil – Conferência & Expo dissemina o conceito e os benefícios da construção verde apresentando especialistas internacionais, cases e boas práticas do setor”, complementa Faria.

Com 45% da conta de energia direcionada a impostos, o Brasil é o terceiro país que mais arrecada tributos no setor, perdendo apenas para Alemanha e Dinamarca, sendo que a infraestrutura brasileira é bem menos sofisticada. Segundo a consultoria norte-americana Northeast Group, o Brasil, com a quinta maior população do mundo e com um governo disposto à modernização da infraestrutura de energia elétrica, tem potencial para se tornar uma das maiores smart grids do mundo, até o fim desta década. Em 2009, o governo federal havia tornado público o compromisso de transformar todos os 63 milhões de medidores eletromecânicos de energia em medidores inteligentes até 2021. A empresa prevê investimentos de cerca de US$ 36,6 bilhões no país, até 2022, na implantação da Advanced Metering Infrastructure (AMI). É uma tendência mundial também comprovada por outra consultoria, IDC Energy Insights, que calculou que até os últimos quatro meses de 2012, as encomendas mundiais de tecnologia smart grid passaram de 15,4 milhões de unidades, representando um aumento anual (2011/2012) de 126,9%. Na Ásia da região do Pacífico o crescimento anual dessa tecnologia sobre 2011 marcou impressionantes 516,8%, com forte participação da China. 

Acompanhe as novidades através do site oficial do evento (www.expogbcbrasil.org.br). A Greenbuilding Brasil - Conferência e Expo também está nas principais redes sociais. Confira também a página no Facebook (facebook.com/GreenbuildingBrasil) e no twitter @expogbcbrasil).

Serviço

4ª Greenbuilding Brasil - Conferência Internacional & Expo
Data: De 27 a 29 de agosto de 2013 – visitas técnicas, 30 de agosto.
Local: Expo Center Norte, São Paulo
Horário: Exposição - das 11h às 20h, Conferência - das 8h30 às 18h, Visitas Técnicas – das 8h às 13h

Fonte: Greenbuilding Brasil

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: