Rodobens e Tecnisa na contramão do setor

Texto: Redação AECweb

Empresas apresentaram queda nas vendas em comparação com o segundo trimestre de 2008, ao contrário da maioria das construtoras

17 de julho de 2009 - A Rodobens Negócios Imobiliários, especializada no segmento de média e baixa renda, vendeu R$ 141 milhões no segundo trimestre. O número representa um aumento de 57% sobre o primeiro trimestre deste ano, porém uma queda de 26,3% em relação ao mesmo período do ano passado, o que a coloca na contramão da maioria das empresas do setor.

Entre as oito companhias do segmento que divulgaram prévia de resultados operacionais até agora, Rodobens, Even e Tecnisa apresentaram queda na comparação com as vendas do segundo trimestre de 2008, período em que praticamente todas as construtoras e incorporadoras alcançaram recorde de vendas.

Segundo o diretor de relações com investidores, Orlando Viscardi, a Rodobens vendeu praticamente todos os imóveis que tinha em estoque que se enquadravam no programa Minha Casa, Minha Vida. "Não vendemos mais porque não tínhamos mais produto dentro do programa habitacional do governo", afirma Orlando.

A Rodobens constrói condomínios horizontais em cidades do interior de diversos estados brasileiros. Nessas localidades, dependendo o tamanho da cidade, o preço máximo do imóvel oscila entre R$ 80 mil e R$ 100 mil.

Por conta disso, a empresa está redirecionando a estratégia para incrementar o portfólio com produtos mais populares. Vários dos empreendimentos que seriam do conceito batizado pela empresa de Moradas, com casas maiores e de preço médio mais alto, estão sendo convertidos para Terra Nova, com casas de cerca de 45 metros quadrados e preços na casa de R$ 100 mil. "Há projetos que já estavam aprovados e estão sendo reaprovados nas prefeituras com o conceito Terra Nova", diz Viscardi. "Tudo depende de quanto pagamos no terreno."

A Tecnisa, que atua no segmento de padrão médio e médio alto, vendeu R$ 298,5 milhões entre abril e junho, queda de 23,9% sobre o mesmo período do ano passado e alta de 10% sobre o primeiro trimestre. A companhia lançou apenas R$ 40 milhões, uma redução de mais de 80% na comparação com o segundo trimestre de 2008. Com isso, conseguiu reduzir estoques - que responderam por 93% do total vendido no trimestre e 78% no semestre. Do total lançado no semestre, 54% dos imóveis custam até R$ 200 mil.

Fonte: Valor Econômico