Santo André assina primeiro contrato do Minha Casa, Minha Vida

Texto: Redação AECweb

Cidade é a primeira do ABCD a ser beneficiada com a construção dos apartamentos para famílias que recebem, até 3 salários mínimos

15 de setembro de 2010 - O município de Santo André foi o primeiro do ABC a assinar contratos relacionados ao programa Minha Casa Minha Vida para famílias que recebem até três salários mínimos. O convênio, assinado nesta terça-feira (14/09), prevê a construção de dois condomínios residenciais que beneficiarão 352 famílias já cadastradas no programa. A previsão é de que os apartamentos fiquem prontos no prazo de um ano.

Com investimento de R$ 23,1 milhões, os condomínios residenciais - de dois dormitórios, sala e cozinha - serão construídos na rua Juquiá (R$ 6,8 milhões), Jardim Santa Cristina e rua Londrina (R$ 11 milhões), na Vila Alzira. O condomínio Juquiá terá 132 unidades habitacionais e o condomínio Londrina contará com 220 apartamentos.

"Esse é um momento significativo, já que somos os primeiros do ABC a assinar esse acordo e seremos os primeiros a iniciar a construção das moradias", destaca o Secretário de Habitação de Santo André, Frederico Muraro Filho. Segundo ele, o município conta com 57 mil famílias cadastradas no programa e foram entregues projetos na Caixa Econômica Federal para a construção de 9 mil unidades habitacionais na cidade.

Na visão do prefeito andreense, Aidan Ravin, o projeto trará benefícios a quase quatro mil pessoas, já que, serão criadas 352 moradias, 152 empregos diretos e 400 empregos indiretos. "Por não ser um partido diretamente ligado ao Governo Federal fica uma vitória ainda mais saborosa", destaca. Ainda de acordo com o prefeito, a prefeitura dispõe de áreas limpas - sem problemas jurídicos - para 9 mil unidades habitacionais.

Os contratos foram assinados pelo prefeito Aidan Ravin, o superintendente regional da Caixa Econômica Federal, Everaldo Silva, e o proprietário da RGA Construtora, Luiz Domingues.

Seleção das famílias

O processo de seleção das famílias, com salário de 0 a 3 anos, que ganharão um novo lar será concluído, segundo o secretário de habitação, pouco antes da entrega dos condomínios. "Nossa prioridade são as demandas fechadas (pessoas em situação de risco), mas isso ainda esta sendo analisado", observa. Conforme revela Muraro, está sendo desenvolvido, em parceria com a Caixa, um critério para selecionar estas famílias de forma transparente.

Fonte: Reporter Diário - SP