Secretário da habitação de SP defende melhorias na 2º fase do Minha Casa

Texto: Redação AECweb

Uma das sugestões é tornar o programa mais acessível à população de baixa renda

16 de março de 2010 - Lair Krähenbühl sugeriu, durante o 57º Fórum Nacional de Habitação de Interesse Social, em Belo Horizonte, que o programa federal de moradias foque o atendimento das famílias de mais baixa renda.

O anúncio futuro da segunda fase do Programa "Minha Casa, Minha Vida" foi um dos temas mais debatidos no 57º Fórum Nacional de Habitação de Interesse Social, realizado em Belo Horizonte.

O secretário da Habitação do estado de São Paulo e presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), Lair Krähenbühl, sugeriu à secretária Nacional de Habitação, Inês Magalhães, alguns aperfeiçoamentos no chamado "Minha Casa, Minha Vida 2". O principal deles, segundo o secretário, é tornar o programa mais acessível à população de baixa renda. "O foco principal do programa precisa ser nas famílias que recebem até três salários mínimos, que é a faixa onde está o maior déficit de habitação no país", disse.

Segundo o secretário Lair Krähenbühl, a prioridade no atendimento pelo "Minha Casa, Minha Vida" precisa ser repensada. "Hoje, apenas 40% dos recursos do programa são direcionados para quem tem baixa renda. Esse percentual precisa subir para no mínimo 70%", disse. Ele lembrou aos participantes que em São Paulo, a grande maioria dos beneficiários da CDHU tem renda familiar mensal de até três salários mínimos.

Outra sugestão apresentada foi a destinação de recursos exclusivos para recuperação de conjuntos, núcleos e assentamentos habitacionais precários. "Há locais muito carentes de infraestrutura, de equipamentos sociais e de tecnologia", disse Lair Krähenbühl. Segundo o secretário,não basta a construção de novas casas, também é preciso pensar em quem já mora em conjuntos habitacionais e precisa do poder público para ter sua vida melhorada.

O 57º Fórum Nacional de Habitação de Interesse Social reuniu secretários estaduais e municipais de Habitação, presidentes de Cohabs e órgãos assemelhados e representantes do setor para discutir o panorama habitacional no país e as políticas públicas para moradias de interesse social.

Durante o evento, o Governo de São Paulo, por meio da CDHU, recebeu o "Selo de Mérito" da Associação Brasileira de Cohabs (ABC) pelo Programa "Vila Dignidade", criado para garantir moradia digna e assistência social à população idosa de baixa renda.

Fonte: Maxpress Net - SP