Seguro habitacional evita atraso na entrega da obra

Texto: Redação AECweb

Apesar do benefício, a maioria dos compradores não sabe da existência desse tipo de seguro específico

03 de novembro de 2009 - Observar se o imóvel é amplo o suficiente para abrigar a família, atentar bem para a qualidade da obra e considerar o valor e as condições de pagamento com todo o cuidado para não exceder o orçamento.

Além desses cuidados ao adquirir uma casa ou apartamento, o consumidor precisa levar em conta também a importância da aquisição do seguro habitacional, mesmo nos casos em que o imóvel ainda esteja em construção.

Segundo especialistas, o seguro na área da construção civil é essencial para os clientes que estão adquirindo um empreendimento ainda em fase de desenvolvimento, pois assegura que, ao final da obra, a pessoa vai receber o imóvel no prazo acordado e ainda protegido.

Em casos de ocorrência de problemas crônicos, tais como infiltrações, vazamentos (posteriores à entrega do imóvel), o seguro cobre reparos desse tipo sem qualquer despesa para o proprietário do imóvel ou para a construtora.

Apesar desse benefício, a maioria dos compradores não sabe da existência desse tipo de seguro específico para obra e boa parte dos construtores ainda não se deu conta da necessidade de se precaver, ou então, desconhece as modalidades de cobertura oferecida ao setor pelas seguradoras.

Paulo Kalassa, agenciador de uma corretora de seguros, diz que a cobertura dos seguros para o setor da construção civil é bastante ampla e pode cobrir indenizações por danos materiais e corporais em acidentes, durante a fase de execução da obra.

O seguro também protege o imóvel contra incêndio, desabamento, roubo ou furtos qualificados e ainda contra problemas posteriores ocasionados por falha de projeto ou erro de execução. "Sabemos que a área da construção civil é conhecida por ser suscetível a acidentes e o seguro de obra garante tranquilidade ao empreendedor para manter o ritmo e cumprir o cronograma da obra", completa Paulo.

Para o engenheiro Fred Cavalcanti, os profissionais envolvidos com a obra também são beneficiados. Problemas que porventura vierem a ocorrer serão sanados com grande agilidade sem a necessidade que aquele profissional ou responsável técnico tenha seu tempo ou a execução de seu trabalho comprometido, o que pode gerar um atraso no cumprimento dos prazos, que são essenciais para o bom andamento de qualquer obra. O seguro é mais uma ferramenta para desenvolver um trabalho com eficiência e de alta qualidade", afirmou Cavalcanti.

Já Vanessa Tavares, compradora recente de um empreendimento em fase de construção, deixa claro que ter conhecimento de que a empresa fazia uso do seguro na construção de seus empreendimentos foi ponto determinante na escolha.

"Eu sempre tive receio em adquirir um apartamento ainda na planta, pois sempre ponderei que pudesse ocorrer algum problema e a construtora poderia não estar capacitada para resolver. Mas conhecendo o seguro de obra e sabendo de toda cobertura prestada, pude perceber que meus direitos como compradora estavam sendo garantidos", diz.

O seguro de obra é um aparato eficaz, pois o consumidor fica assegurado que seu imóvel será entregue mesmo se, por exemplo, ocorrer um incêndio no final da obra, visto que a maioria das empresas não tem como pagar o prejuízo ou reconstruir o empreendimento em um caso como este.

O consumidor também tem a garantia de que, caso ocorra algum problema na estrutura do empreendimento após sua entrega, o seguro arcará com os custos para solucionar o problema.

Já para os empreendedores, o seguro de obra permite que tenham mais facilmente o controle dos riscos durante a execução de seus projetos e possam resolver qualquer problema de forma prática, sem comprometer o planejamento da obra e nem gerar ônus para sua empresa.

Segundo o diretor da TWS, Eric Gassmanna, há uma variação de preço para o seguro de imóvel na planta, de acordo com o contrato feito com cada construtora. Quem assume esse custo é o construtor. Na verdade, o seguro é uma prestação de serviço a mais que a construtora faz para garantir o sucesso e a qualidade do empreendimento".

Gassmanna informou que a demanda na Paraíba ainda é baixa, o que ele atribui à falta de conhecimento tanto das construtoras quanto dos clientes. "Em muitos países da Europa, o seguro de obra é obrigatório e no sul do Brasil os clientes já têm conhecimento e até existe uma certa exigência para que as construtoras adquiram".

Fonte: SEGS.com.br – SP