Serão investidos R$ 75 mi na 2ª fase do MCMV no Ceará

Texto: Redação AECweb

Serão beneficiadas 4.500 famílias de 108 municípios cearenses com menos de 50 mil habitantes

11 de fevereiro de 2010 - "Transformar casa de taipa em casa de tijolo", este - segundo o governador Cid Gomes - é o objetivo da assinatura dos termos de acordo e compromisso com as instituições responsáveis pelo financiamento de 4.500 unidades residenciais em 108 municípios cearenses com população inferior a 50 mil habitantes. A medida faz parte do programa Minha Casa Minha Vida (MCMV).

Serão investidos R$ 75 milhões, sendo R$ 61,5 milhões do governo federal e o restante como contrapartida do Estado. As cidades com até 20 mil habitantes receberão 30 casas, de 37 metros quadrados, cada uma ao custo de R$ 15 mil. Os municípios com população estimada entre 20 e 50 mil serão beneficiados com 60 casas, de 45 metros quadrados, no valor de R$ 18 mil cada. "As prefeituras têm até o dia quatro de março para entregarem a lista das famílias beneficiadas com o programa", afirmou o secretário das Cidades, Joaquim Cartaxo.

De acordo com o secretário adjunto das Cidades, Jurandir Santiago, para que seja possível a construção das casas, as prefeituras precisam apresentar fotografias das famílias e dos imóveis atuais, que devem ter cinco metros de frente por 13 metros de fundo, os termos de posse dos terrenos e documentos básicos como RG e CPF. "Além disso, há uma orientação na documentação entregue às prefeituras para não realizar construções em áreas de risco", disse.

Os bancos Tricury, Bonsucesso, Schahin e BIC foram os ganhadores do leilão que os definiu como responsáveis pela contratação das construtoras que irão executar e concluir as casas até o fim de novembro deste ano, sob risco de serem punidas pelo Banco Central.

Lentidão
A respeito da primeira fase do MCMV, com cidades acima de 50 mil habitantes, o governador admitiu lentidão no andamento do programa e atribuiu culpa à falta de projetos.

Fonte: Diário do Nordeste - CE