Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Setor da construção civil oferece 5 mil vagas na região de Campinas

Texto: Redação AECweb

Mercado está aquecido, mas faltam profissionais qualificados

09 de agosto de 2010 - A boa fase da construção civil continua. O mercado está cada vez mais aquecido em Campinas e na região metropolitana. O setor registrou alta de 50,4% no primeiro semestre de 2010, segundo a Associação Regional da Habitação (Habicamp). Cinco mil vagas imediatas estão sendo oferecidas, sendo 2,5 mil só na cidade de Campinas, mas falta mão de obra qualificada para preencher as oportunidades.

Uma pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que 62% das empresas de construção analisadas apontam a falta de trabalhador qualificado como o maior problema a ser enfrentado neste mercado. As ocupações mais requisitadas são pedreiros, engenheiros civis, mestres de obras, encanadores, eletricistas e técnicos em edificações. Segundo o presidente da Habicamp, Francisco de Oliveira Lima Filho, a falta de profissionais prejudica o andamento das obras.

"Todo o mercado da construção civil está passando por problemas de mão de obra. Por conta disso, muitas construtoras estão atrasando a obra porque não conseguem a contratação de um profissional", explica.

Mas o mercado enfrenta ainda outro problema. No Centro Público de Apoio ao Trabalhador de Campinas (CPAT), as vagas para o setor têm procura, mas muitos candidatos acabam rejeitando as oportunidades. A coordenadora do CPAT, Sílvia Helena Garcia, acredita que eles não ficam satisfeitos com o salário oferecido, já que alegam ganhar mais trabalhando por conta própria.

"Baixos salários e poucos benefícios ofertados influenciam no tempo de preenchimento da vaga, que, em alguns casos, ficam abertas por até um mês, independentemente do impacto da turbulência na economia", explica a coordenadora.

Situação pode ser revertida

Segundo o presidente da Habicamp, Francisco de Oliveira Lima Filho, a necessidade de profissionais qualificados nesta área é tão grande que as construtoras acabam negociando com o trabalhador. O piso salarial de um pedreiro é R$ 1,2 mil, mas ele recebe também cesta básica, vale transporte e vale refeição. Já o mestre de obras recebe um salário entre R$ 2 mil e R$ 2,5 mil. Os funcionários com carteira assinada têm muitos benefícios.

"Cada construtora ou cada patrão tem uma maneira de contratar. Basta seguir o mínimo possível hoje, que a CLT exige, e negociar com o patrão. Trabalhar por conta própria não compensa, porque qualquer obra hoje exige não só a certificação do pedreiro, como também a certificação da obra. Não é qualquer pedreiro que pode qualificar uma obra, ele tem que estar capacitado pra isso", afirma. Veja mais detalhes no vídeo.

O profissional que busca o emprego junto às construtoras com carteira assinada tem direito a 13º salário, férias e garantias de saúde. Os que trabalham por conta própria acabam não tendo a mesma segurança. Além disso, quem quiser buscar uma qualificação na área tem a chance de já sair do curso contratado.

Os interessados em aproveitar as oportunidades podem cadastrar o currículo no portal da Habicamp na internet. No CPAT, localizado na Avenida Dr. Campos Sales, 427, no Centro de Campinas, os candidatos devem levar carteira profissional, RG, comprovante de endereço e os demais documentos pessoais, como CPF e título de eleitor.

Como se qualificar

Para trabalhar na área de construção civil é necessário ter cursos de qualificação. O mercado está aberto para homens e mulheres. O Senai e o Instituto Futuro Cidadão oferecem boas opções a curto prazo, para que os interessados consigam se empregar ainda este ano.

No Senai Professor Dr. Euryclides de Jesus Zerbini, os candidatos podem fazer cursos de Formação de Pedreiro, Eletricista, Instalador de Drywall (paredes de gesso) e Desenho e Interpretação de Projetos para Construção Civil. Todas as opções são gratuitas e as inscrições são feitas por ordem de chegada. As aulas terão início em setembro, nos turnos da manhã, tarde e noite.

Os interessados devem ter idade a partir de 18 anos e ter concluído a 6ª série do ensino fundamental. As turmas fecham com 16 alunos, então é bom se apressar. Os documentos necessários são Xerox do RG, CPF, comprovante de residência e de escolaridade. O Senai fica na Avenida da Saudade, 125, no bairro Ponte Preta, em Campinas.

O Instituto Futuro Cidadão, através do Centro de Treinamento Bioser, em Paulínia, oferece qualificação para Pedreiro, Eletricista, Encanador, Pintor Industrial, Soldador de Tubulação e Lixador Industrial. Todos os cursos são gratuitos e 30 dias de duração.

Somente moradores de Paulínia podem aproveitar estas oportunidades. Os interessados devem estar desempregados. A inscrição pode ser feita no Pronto Para o Trabalho, na Rua João Fávero, 89, no Centro. O candidato precisa fazer uma prova de português e matemática para ser selecionado. Durante o curso, o aluno tem direito a auxílio transporte, cesta básica, material didático, uniforme e alimentação. Mais informações nos telefones 0800 771 7077 e 0800 772 7076.


Fonte: EPTV - SP

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: