Setor de vendas de material de construção apresenta queda em janeiro

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Resultado acompanha tendência do período, de acordo com presidente da Anamaco

07 de fevereiro de 2013 - As vendas de material de construção tiveram retração de 3% em janeiro quando comparadas ao mesmo período de 2012, segundo os dados divulgados hoje pela Anamaco – Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção. Na comparação com o mês de dezembro de 2012, as vendas caíram 10 pontos percentuais.

De acordo com o estudo, praticamente todos os segmentos avaliados contribuíram para o resultado, exceto revestimentos cerâmicos, argamassas e rejuntos, que começaram o ano com crescimento de 4% e 3% respectivamente, em relação a janeiro de 2012. Na comparação com o último mês de dezembro, tiveram destaque às categorias aço e tubos e conexões de PVC, com desempenhos superiores em 4% e 2%. 

Para o presidente da Anamaco Cláudio Conz, o resultado acompanha a tendência do período. “O mês de janeiro é marcado pelas férias e pelas fortes chuvas de verão, não costumamos ter, portanto, um aquecimento no mercado de reformas”, afirma. “Isso já é tradicional nesta época do ano, mas após o Carnaval, geralmente temos uma retomada forte de obras”, acrescenta.

Nesse sentido, a pesquisa aponta um forte otimismo dos comerciantes já para o mês de fevereiro. Cerca de 36% dos lojistas acreditam aumentar o volume de vendas em relação a janeiro.  53% dos lojistas estão otimistas com relação às ações do Governo nos próximos 12 meses. De acordo com a entidade, os programas de liberação de crédito ao consumidor para compra de material de construção deverão fazer a diferença no crescimento previsto para o ano de 6,5%. Nos últimos 12 meses as vendas estão 2,5% superiores.

As regiões que tiveram os melhores desempenhos de vendas em janeiro foram Centro-Oeste e Norte. São também as regiões mais otimistas em relação às ações do Governo em 2013 e as que possuem maior intenção de fazer investimentos. No Centro-Oeste, 61% dos comerciantes disseram ter intenção de investir no negócio este ano; já na região Norte, este número ficou em 68%.

“Vemos muito espaço para crescimento nestas regiões”, avalia Cláudio Conz. “De maneira geral, em todo o País, os números apontam para o otimismo do setor e para uma expectativa de aquecimento do mercado e aumento da construção especialmente após o fim das férias e do Carnaval”.

Este fato também se reflete nos dados de intenção de contratação. A Pesquisa apontou que no mês de fevereiro, um quinto das lojas do varejo de material de construção devem contratar novos funcionários.

O segmento do comércio de materiais de construção fechou 2012 com crescimento de 3,5% sobre 2011, com faturamento de R$ 55 bilhões.

Fonte: Anamaco