Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Setor deve crescer 3,5% em 2013 no Ceará

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Oportunidades de crédito refletem a situação da oferta de novos empreendimentos na área da construção civil

12 de setembro de 2013 - Os números da venda de imóveis apresentados pelo Secovi-CE, aliados à construção de shoppings em Fortaleza devem alavancar o crescimento do setor da construção civil no Ceará em 3,5% neste ano. É o que afirma o empresário e vice-presidente da área imobiliária do Sindicato da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE), André Montenegro.

"A construção civil está crescendo em todos os bairros da Capital devido aos inúmeros equipamentos que estão se instalando na cidade". De acordo com Montenegro, outros bairros de Fortaleza também se beneficiam por causa das intervenções ocorridas na cidade. "Castelão, Passaré, Parquelândia crescem em decorrência do alargamento das vias. Se vê a verticalização gradativa desses bairros."

Para o empresário, as oportunidades de crédito refletem a situação da oferta de novos empreendimentos na área da construção civil no Ceará. "Vive-se uma fase de estabilização do setor. Apesar do déficit habitacional, há crédito em abundância".

Um estudo sobre a demanda por novos empreendimentos imobiliários e investimentos para a região de São Gonçalo do Amarante, local do Porto do Pecém, está em fase de apuração. Contudo, Montenegro afirma que habitações do Programa Minha Casa Minha Vida serão entregues dentro de dois meses na localidade. "O município está crescendo. Até novembro, estarão concluídas 500 unidades habitacionais".

Minha Casa Minha Vida

De acordo com o Ministério das Cidades, foram contratadas 75.971 unidades do Minha Casa, Minha Vida no Ceará desde o lançamento do Programa, em 2009. Em Fortaleza foram contratadas 25.273 unidades, sendo entregues 7.029 moradias. Na Região Metropolitana houve a contratação de cerca de 45.28 e entregues outras 16.774. O total dos investimentos do Minha Casa Minha Vida no estado chega a R$ 4,5 bilhões.

Com imóveis de até R$ 170 mil, o Programa colabora com o crescimento da Construção Civil no Ceará, mas não faz parte do levantamento do Secovi.

Fonte: O Povo
x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: