Sindicato da construção civil aprova prioridade do PAC 2

Texto: Redação AECweb

No entanto, existe a preocupação em relação a continuidade das obras no próximo governo

30 de março de 2010 - O setor da construção civil comemorou a prioridade dada ao segmento habitacional no lançamento da segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), mas está preocupado com a continuidade das obras no próximo governo. O programa foi lançado nesta segunda-feira (29) e prevê investimentos de R$ 278 bilhões para a área da habitação.

"É uma notícia maravilhosa para nós. Vem de encontro ao que o setor está querendo", destacou o presidente do Sindicato da Indústria da Construção do Rio de Janeiro (Sinduscon/RJ), Roberto Kauffmann.

Na sua avaliação, as obras na área habitacional já estão avançando bem em todo o país. "A gente acha que é importante o governo reforçar o projeto Minha Casa, Minha Vida, porque, de fato, nós precisamos ter um volume grande de obras para reduzir o déficit habitacional e proporcionar moradia digna para as famílias", disse.

Kauffmann enfatizou que a grande preocupação é que o PAC 2 seja mantido pelo próximo governo que assumirá em 2011. "A gente acredita que os candidatos não vão alterar [o programa], porque isso faz parte de um anseio da população brasileira. Acredito que tanto o candidato do governo quanto da oposição não teriam condições de alterar isso. O programa é muito importante e o volume de obras vai crescer", previu.

O presidente do Sinduscon/RJ disse que o setor da construção está preocupado com a formação de mão de obra e está tomando uma série de medidas com o objetivo de qualificar os empregados do setor, tendo em vista o aumento do volume de obras. "Se Deus quiser, nós não vamos ter problemas nem de mão de obra nem de materiais, porque as indústrias estão se estruturando para ter uma produção maior."

Fonte: DCI - SP