Sindicato da construção questiona retroatividade no Plano Diretor

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

De acordo com o presidente do Sinduscon – SP, introdução do item gerou uma grande insegurança junto às construtoras

03 de agosto de 2013 - O presidente do SindusCon-SP, Sergio Watanabe, manifestou ao prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, a preocupação da indústria imobiliária com o item do anteprojeto do Plano Diretor que retroage a 31 de julho de 2013 os efeitos do mesmo.

Segundo Watanabe, a introdução deste item gerou uma grande insegurança junto às construtoras. Isto porque aquelas que estão preparando seus terrenos para lançar empreendimentos imobiliários nos próximos meses poderão ter seus projetos inviabilizados financeiramente, com a queda, de 2 para 1 vez a área do terreno, do coeficiente de aproveitamento para construção. Esta redução está prevista no anteprojeto.

Além disso, muitas construtoras que estão por adquirir terrenos para futuras edificações interromperam as negociações, por temerem que, concretizando-se a retroatividade, elas não tenham como viabilizar os empreendimentos, ponderou o presidente do SindusCon-SP.

A argumentação foi apresentada ao prefeito em 30 de agosto, antes do início da 4ª Conferência Municipal do Meio Ambiente, no Palácio de Convenções do Anhembi. “Este é um detalhe do Plano Diretor”, limitou-se a comentar o prefeito, evitando entrar no mérito da questão.

Fonte: Sinduscon – SP