Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

SindusCon-SP e Caixa se unem para disseminar boas práticas de sustentabilidade

Texto: Redação AECweb

Anúncio foi feito ontem pelo presidente do SindusCon-SP, Sergio Watanabe

25 de maio de 2011 - O SindusCon-SP e a Caixa Econômica Federal assinaram em 23 de maio um Protocolo de Cooperação para a disseminação de soluções que promovam a sustentabilidade dos empreendimentos habitacionais. O anúncio foi feito ontem pelo presidente do SindusCon-SP, Sergio Watanabe, durante a abertura do Seminário Internacional Avaliação Ambiental de Edifícios – As práticas brasileiras e as tendências mundiais, promovido pelo Comitê de Meio Ambiente do sindicato e que lotou com mais de 120 participantes o auditório da sede.

Pelo protocolo, assinado por Watanabe e pelo vice-presidente da Caixa, José Urbano Duarte, o objetivo é unir esforços institucionais e técnicos das duas instituições para disseminar no Estado de São Paulo as boas práticas e soluções de sustentabilidade.

Serão áreas de interesse prioritário: redução e mitigação da emissão de gases de efeito estufa; avaliação de terrenos suspeitos de contaminação e áreas contaminadas; utilização de recursos naturais de forma sustentável, em especial, o uso de madeira legalizada; conforto ambiental e eficiência energética; paisagismo e arborização de empreendimentos; gestão de resíduos da construção e da demolição; práticas sociais e educativas com os trabalhadores e beneficiários dos empreendimentos habitacionais.

O acordo pretende ainda disseminar o conceito de construções mais sustentáveis tomando como referência as categorias e critérios estabelecidos pelo Selo Casa Azul Caixa, lançado no ano passado, e que leva em conta as especificidades de cada projeto, as características dos usuários e das regiões onde eles serão implementados, além da redução de custos, sobretudo no caso de empreendimentos voltados para a baixa renda, como no caso daqueles inseridos no programa habitacional Minha Casa Minha Vida.

"Esperamos que esta parceria com a Caixa dê muitos frutos. Percebemos que as visões de ambas as entidades são muito semelhantes e que não fazia mais sentido caminharmos mais em separado", afirmou o vice-presidente de Meio Ambiente do SindusCon-SP, Francisco Vasconcellos Neto.

Também presente à abertura do evento, a secretária-adjunta e supervisora geral da Administração da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente do Município de São Paulo, Leda Aschermann, considerou o seminário importante para levantar questões ainda não sedimentadas ou que suscitam polêmica sobre sustentabilidade. Ela afirmou que São Paulo vive um momento único, porque se prepara para sediar a reunião do C-40 (grupo das 40 maiores cidades do planeta), cujo tema central são as mudanças climáticas.

Para o secretário municipal da Habitação, Ricardo Pereira Leite, o encontro do C-40 "é uma homenagem a São Paulo" e um reconhecimento "pelo esforço da cidade de ter optado claramente pela questão ambiental". Segundo ele, "o desafio da cidade é ser mais rigoroso nas questões ambientais sem que as exigências tornem as soluções muito custosas".

O urbanista Nabil Bonduki, que acabou de assumir a Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente, disse que sua missão é pensar a construção sustentável como um tema integral, sem deixar que incluir na discussão o fator custo. "O cálculo dos custos não pode ser feito só levando em conta a construção convencional", afirmou. Segundo ele, uma das preocupações é em relação às APPs (Áreas de Preservação Permanente) urbanas. "Temos de dar uma atenção especial a elas.Vamos abrir este debate", comentou.

Na abertura, representando o secretário estadual do Meio Ambiente, Bruno Covas, também esteve presente o diretor do Núcleo do Centro de Projetos da Coordenadoria de Planejamento Ambiental da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, João Luiz Potenza.

Temas

Sob coordenação técnica da professora Vanessa Gomes, o seminário discutiu as alternativas para avaliação ambiental disponíveis no Brasil e no mundo e ajudou a entender os prós e contras da aplicação de cada uma delas. Os arquitetos do escritório Foster+Partners de Londres (Inglaterra) Edward Garrod e Edson Yabiku, discorreram sobre os projetos contemporâneos. Outros palestrantes debateram a análise do ciclo de vida dos materiais e sistemas inerentes a uma obra de construção civil.

Fonte: Sinduscon-SP

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: