Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

SindusCon-SP é mencionado em solenidade com Dilma e Alckmin

Texto: Redação AECweb

Presidente Dilma prometeu que, além das 97 mil, o PMCMV edificará mais 3 mil no Estado de São Paulo, por conta do governo federal, perfazendo 100 mil

16 de janeiro de 2012 - Ao discursar em solenidade que reuniu a presidente Dilma Rousseff e o governador Geraldo Alckmin na última quinta-feira, 12 de janeiro no Palácio dos Bandeirantes, o presidente da Caixa, Jorge Hereda, mencionou a presença do presidente do SindusCon-SP, Sergio Watanabe, ao lembrar que o sindicato sempre alertou que os valores do Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV) eram insuficientes para viabilizar a construção de moradias para famílias com renda mensal de até R$ 1.600 (faixa 1) em cidades como São Paulo.

"Na primeira etapa do programa faltou cumprir a meta fixada para a construção de moradias na faixa 1 do programa no Estado de São Paulo e um dos motivos – e aqui está o Sergio Watanabe, do SindusCon-SP – era a dificuldade em equacionar as contratações nos valores propostos. Aprendemos, pois onde houve parcerias [com Estados e Municípios] superamos a meta", afirmou Hereda.

O SindusCon-SP também foi uma das entidades citadas pelo governador Geraldo Alckmin em seu discurso, quando ele destacou a importância da parceria da iniciativa privada para a concretização da construção de 97 mil unidades habitacionais no Estado, nesta segunda etapa PMCMV.

Para viabilizar a contratação destas moradias, a Caixa e a Secretaria da Habitação assinaram na ocasião um convênio, pelo qual o governo estadual dará um subsídio de R$ 20 mil por unidade habitacional. Isso elevará o valor da contratação para até R$ 85 mil por moradia. Com isso, a expectativa é atender as principais regiões metropolitanas do Estado e outros municípios, gerando 330 mil empregos diretos e indiretos, segundo Alckmin.

Metas maiores – Em seu discurso, a presidente Dilma prometeu que, além das 97 mil, o PMCMV edificará mais 3 mil no Estado de São Paulo, por conta do governo federal, perfazendo 100 mil. Ela também reafirmou que em junho, após uma reavaliação, a meta do programa, de construir 2 milhões de moradias até 2014, poderá ser acrescentada de mais 400 mil, todas estas voltadas à faixa 1.

Dilma considerou o convênio assinado com o governo estadual "um marco para o PMCMV", programa que considerou, junto com o Bolsa Família, estratégico para assegurar o desenvolvimento do Brasil. "País rico é país sem pobreza, e além de geração de renda, oportunidades de trabalho e educação, queremos condições de vida digna, e a casa é fundamental. Não queremos um país com poucos ricos e muitos pobres, e sim com uma grande classe média, e ninguém é classe média sem casa", disse.

Ao lembrar que governo federal e estadual já têm parcerias como as do Rodoanel e da Ferronorte, ela manifestou a expectativa de continuar nessa direção, "porque é impossível se governar sem os estados e as prefeituras. Acabada a eleição, precisamos deixar as divergências eleitorais de lado e ter decoro governamental, não ter atrito com estados e municípios."

A presidente também anunciou que, até dezembro, 457 mil moradias da segunda etapa do PMCMV haviam sido contratadas, havendo a previsão da contratação de mais 500 mil em 2012. Segundo ela, da primeira etapa haviam sido concluídas 326 mil e da segunda, 157 mil, encontrando-se outras 700 mil em obras.

Presenças – Além de Dilma, Alckmin e Hereda, participaram da mesa da solenidade os ministros das Cidades, Mario Negromonte, e da Saúde, Alexandre Padilha; o presidente do Tribunal de Justiça, Ivan Sartori; o secretário estadual da Habitação, Silvio Torres; e o prefeito Gilberto Kassab. Entre as autoridades presentes, estavam a secretária nacional de Habitação, Inês Magalhães; os senadores Aluizio Nunes, Eduardo Suplicy e Marta Suplicy; e o secretário municipal da Habitação, Ricardo Pereira Leite.

Pelo SindusCon-SP, além de Watanabe, estiveram presentes os vice-presidentes de Habitação Popular, João Claudio Robusti, e de Obras Públicas, Yves Verçosa; o superintendente Antonio Laskos e o coordenador de Produção e Mercado, Elcio Sigolo.

Fonte: Sinduscon - SP

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: