Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

SindusCon-SP solicita a presidente pagamento do Minha Casa

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Atrasos estão colocando em risco a solidez financeira das empresas do setor

01 de abril de 2014 - Em carta enviada em 31 de março à presidenta Dilma Rousseff, o presidente do SindusCon-SP, Sergio Watanabe, solicita a regularização dos pagamentos em atraso das obras do Programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV).

"O inesperado atraso dos pagamentos às construtoras, ocorrido pela primeira vez desde o lançamento do programa, tem provocado vultosos prejuízos aos parceiros da construção civil deste programa. Em função das estreitas margens e do pequeno porte da grande maioria das construtoras que operam no MCMV, tais atrasos estão colocando em risco a solidez financeira de nossas empresas", alerta o presidente do SindusCon-SP.

"Preocupados com esses atrasos, as entidades da construção civil têm recebido sucessivas promessas de que os pagamentos deverão se regularizar. Mesmo que isso aconteça no início de abril, conforme a última promessa feita, preocupa-nos que posteriormente este fato se repita, vindo a desmotivar a maioria das empresas de prosseguir as obras e até de ingressar em novas contratações", diz Watanabe.

Ele destaca que "as pequenas e médias construtoras acreditaram no MCMV, realizaram significativos investimentos e agora estão empenhadas em cumprir as metas, para a contratação e entrega de 3,75 milhões de unidades habitacionais. Neste sentido, apelamos a V. Exa. para que tome as medidas necessárias para evitar a desestruturação e a insolvência dessas construtoras".

Na carta, o presidente do SindusCon-SP também cita "outro fato preocupante: já se encerrou o primeiro semestre e até o momento não temos notícia do projeto que está sendo preparado para a fase 3 do programa. Sem uma clareza sobre a continuidade, investidores e construtoras não têm como começar o planejamento e mobilizar recursos para os próximos empreendimentos, o que significará a descontinuidade das obras e da entrega dos conjuntos habitacionais a partir do início do próximo mandato presidencial."

Neste sentido, Watanabe solicita a Dilma que o governo divulgue o projeto da fase 3 "para conhecimento de toda a sociedade".

Por último, o presidente do SindusCon-SP reitera a proposta do sindicato pela transformação do MCMV, de uma política de governo, em uma política de Estado. "Reafirmamos a aspiração que não é só da construção, mas dos movimentos sociais de luta pela moradia, das centrais dos trabalhadores e de governos estaduais e municipais, pela implementação de uma política de estado para a habitação de interesse social em nosso país, com garantia de recursos financeiros perenes do Orçamento."

Fonte: Sinduscon – SP

 

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: