Sistema Resíduos Online é lançado em Santos

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Para o prefeito, garantir qualidade de vida aos cidadãos, através da preservação do meio ambiente, é fundamental

11 de dezembro de 2013 - A prefeitura de Santos assinou ontem protocolo de intenções com o SindusCon-SP, a Secretaria do Meio Ambiente e a Cetesb para adesão ao Sistema de Gerenciamento Online de Resíduos (Sigor). O projeto piloto inédito de gerenciamento online dos resíduos sólidos terá até fevereiro para possíveis ajustes, quando então será levado para todo o Estado de São Paulo.

Na cerimônia, realizada no salão nobre da Prefeitura, o presidente do SindusCon-SP, Sergio Watanabe, reforçou a importância do projeto piloto lançado em Santos e disse que a meta é sua implantação nas dez regionais estaduais já em fevereiro de 2014.

O prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, destacou a satisfação de a cidade ter sido escolhida para a implantação desse sistema, em um momento de franco crescimento para o município. Para o prefeito, garantir qualidade de vida aos cidadãos, através da preservação do meio ambiente, é fundamental, o que torna o sistema Sigor prioritário.

O projeto via web elimina papéis, facilita e agiliza o processo de destinação final dos resíduos sólidos da construção, bem como sua fiscalização. Diante disso, o vice-presidente da Cetesb, Nelson Roberto Bugalho, afirmou que seu alcance vai além da construção civil, já que, após testado e aprovado, o Sigor poderá ser levado para outros setores.

O evento reuniu também Sadao Nakai, presidente da Câmara Municipal de Santos, e Luciano Cascione, secretário municipal de Meio Ambiente.

Sobre o Sigor – O Módulo Construção Civil do Sigor consiste em uma plataforma eletrônica que permitirá a elaboração dos Planos de Gerenciamento de Resíduos por parte dos geradores e a emissão de CTRs (Controles de Transporte de Resíduos), documento que acompanha as cargas transportadas. Caberá aos transportadores aceitar as CTRs e transportar os resíduos às áreas de destinação indicadas. Estas áreas poderão ser áreas de transbordo e triagem (ATTs e PEVs), áreas de reciclagem, aterros de resíduos Classe A (de acordo com a Resolução Conama 307/2002 e suas alterações) e aterros de rejeitos. As áreas de destino que receberem os resíduos deverão aceitar os CTRs.

O sistema permitirá a emissão de relatórios, entre eles o Sistema Declaratório Anual, uma das exigências da Política Nacional e da Política Estadual de Resíduos, além de agilizar o fluxo de informações e facilitar o gerenciamento e a fiscalização por parte dos municípios e do Estado.

Para a sociedade, o Sigor terá um papel fundamental na prestação de serviços. Criará um amplo banco de dados disponibilizando informações como: a relação de transportadores cadastrados nos municípios; a relação de áreas de destinação por tipo de resíduos que estão licenciadas a receber; legislações e normas referentes aos resíduos de construção; manuais e publicações, e a divulgação de eventos e treinamentos. O “fale conosco” do sistema permitirá o esclarecimento de dúvidas e a orientação aos usuários do sistema.

Fonte: Sinduscon - SP