Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Sobe número de imóveis avaliados

Texto: Redação AECweb

FGV divulgou hoje o cálculo do segundo trimestre do indicador criado em fevereiro em parceria com a BM&FBOVESPA, dentre outras empresas e entidades

01 de agosto de 2011 – O IGMI-C (Índice Geral do Mercado Imobiliário-Comercial) com dados do segundo trimestre deste ano foi divulgado hoje pela Fundação Getúlio Vargas e apontou um aumento de 18% no número de imóveis avaliados, indo de 190 para 224 desde fevereiro, quando o índice foi criado. O acréscimo contribui para o aprimoramento na base de cálculo do indicador, que mede a rentabilidade e o retorno de capital de imóveis comerciais no Brasil.

Segundo os números divulgados hoje pela FGV, os imóveis comerciais no país apresentaram no segundo trimestre um retorno menor na comparação com o trimestre anterior. De abril a junho deste ano, os prédios comerciais garantiram uma rentabilidade de 2,8%, retorno sobre o capital investido de 1,4% e o total, com a soma de ambos, de 4,3%. De janeiro a março, os números foram de 3,2%, 1,8% e 5%, respectivamente. Foi o segundo trimestre consecutivo de queda na variação do índice.

Já a rentabilidade anualizada desacelerou para 21,2%, já que as taxas de retorno da renda e do capital caíram para 13,5% e 7,7%, respectivamente.

O indicador é calculado com base em informações fornecidas por um grupo de participantes envolvendo investidores institucionais e empresas ligadas ao setor imobiliário. O IGMI-C permanece aberto para novos participantes, com o intuito de aprimorar a quantidade e qualidade de informações analisadas ao longo do tempo. O objetivo do indicador é ser uma referência de rentabilidade de imóveis comerciais - escritórios, hotéis, shoppings e outros -, contribuindo para a maior transparência na formação dos preços de compra, venda e locação.

Fomento do mercado imobiliário

A BM&FBOVESPA é uma das instituições patrocinadoras do IGMI-C e preside o Conselho do Índice na pessoa de seu diretor de Desenvolvimento e Relações com Institucionais, Emílio Otranto. A Bolsa também tem adotado outras iniciativas a favor do desenvolvimento do mercado imobiliário e de capitais. Dentre elas, está o convênio firmado com a ARISP (Associação dos Registradores de Imóveis do Estado de São Paulo), no ano passado, e a criação da Câmara Consultiva do Mercado Imobiliário.

Fonte: BM&FBOVESPA

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: