Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Sobram vagas no setor de construção civil, mas faltam profissionais

Texto: Redação AECweb

Estudo mostra que problema de mão de obra qualificada no Brasil vai continuar nos próximos anos

25 de abril de 2011 - A oferta de vagas na construção civil continua a crescer. Levantamento da consultoria de RH Manpower mostra que houve expansão no número de empregos no setor de 54% no primeiro trimestre deste ano. Empresas como SH Fôrmas, RJZ/Cyrela e Marko Sistemas Metálicos estão com postos de trabalho abertos para diversos cargos. Vão desde analista financeiro e engenheiro calculista a técnico de manutenção elétrica e operador de máquina. O bom é que, para se candidatar a uma dessas oportunidades, o processo é simples: basta cadastrar o currículo nos sites das instituições, revela reportagem de Felipe Sil, publicada na edição do GLOBO deste domingo.

O aquecimento do mercado, porém, passou a exigir cada vez mais especialização dos profissionais da área. Estudo publicado este mês pela Fundação Getúlio Vargas, em parceria com o Instituto Votorantim, mostra que o problema de mão de obra qualificada no Brasil vai continuar nos próximos anos.

Isso porque a renda média do trabalhador da construção civil foi de R$ 933,24 em 2009 (último dado disponível), valor 14,7% menor do que a renda dos empregados em outros setores (R$ 1.094,27). A pesquisa deixa claro que os jovens têm optado por outras profissões, com melhores perspectivas de remuneração.

Diretor comercial da empresa SH Fôrmas, que atua na área de escoramentos metálicos, Wolney Amaral diz que falta mão de obra qualificada em todos os níveis da construção civil. No momento, a empresa recruta para seu programa de trainee, com vagas para engenheiros civis e técnicos de construção. Segundo Amaral, a escassez é fruto da dormência do setor durante muitos anos: “Havia um nível de demanda baixo e estabilizado. Com a entrada do capital estrangeiros nos últimos anos, além do crédito facilitado, o mercado cresceu consideravelmente, abrindo vagas em diversas áreas. Basicamente, porém, o setor não estava preparado”.

Leila Queiroz, responsável pela área de recrutamento e seleção da Marko, empresa especializada em estruturas e coberturas metálicas, que no momento está com 33 vagas em aberto, também se ressente da escassez generalizada de profissionais qualificados no mercado, principalmente nas regiões Nordeste e Centro Oeste. “Estamos buscando profissionais com formação em engenharia civil, mecânica ou arquitetura, com experiência na venda de produtos, para trabalhar em Salvador, em Recife e em Fortaleza, mas não estamos encontrando candidatos com este perfil”, lamenta.

Fonte: O Globo

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: