Telhado branco não pega no Rio

Texto: Redação AECweb

Promulgada pela Alerj, lei terá sua constitucionalidade julgada

29 de agosto de 2011 - Uma medida que parece simples e econômica - pintar os telhados de branco - pode causar uma confusão no Estado do Rio. É que a Assembleia Legislativa promulgou no início do mês uma lei que prevê que as casas populares e conjuntos habitacionais construídos a partir de agora pela Companhia Estadual de Habitação (Cehab) deverão ter suas coberturas pintadas de branco. Mas o governo estadual, que havia vetado a lei, não parece disposto a mudar de opinião. Tanto que espera que a Procuradoria Geral do Estado (PGE) julgue sua constitucionalidade para decidir sobre sua regulamentação.

Segundo a assessoria do Palácio Guanabara, a lei foi vetada porque previa que a pintura deveria ser feita com uma tinta específica, à base de água, capaz de resistir à exposição direta ao tempo. O que, alega o governo, elevaria muito os custos de construção. Ainda segundo o órgão, há no mercado outras tecnologias eficientes na não-absorção de calor, com custo menor, como as telhas cerâmicas claras. O governo alega ainda que as famílias de baixa renda, às quais se destinam as casas erguidas pela Cehab, não teriam recursos financeiros para fazer a manutenção dos telhados.

Baseada em pesquisa do Lawrence

Berkeley National Laboratory, que mostra que a cada cem metros quadrados de cobertura pintada de branco são compensadas dez toneladas de C02 ao ano, a lei foi proposta pelo deputado Luiz Paulo (PSDB), que defende sua importância: “Temos que pensar em projetos que tragam mais conforto aos moradores. Muito se fala em sustentabilidade e economia verde, mas pouco se faz na prática”.

Basta saber se essa não vai ser mais uma daquelas leis que não pegam.

Fonte: O Globo