Teresópolis construirá 500 casas para desabrigados

Texto: Redação AECweb

Prefeitura já desapropriou fazenda. Em Nova Friburgo, o anúncio é de três mil apartamentos para desabrigados

20 de janeiro de 2011 - A prefeitura de Teresópolis desapropriou uma fazenda para a construção de 500 casas populares para desabrigados. O decreto de desapropriação da fazenda de 190 hectares, localizada no bairro Ermitage, foi assinado na segunda-feira.

Com o custo de R$ 24 milhões, as casas começarão a ser construídas em 30 dias e devem ficar prontas até o fim deste ano. O prefeito de Teresópolis, Jorge Mario Sedlacek, usou o estado de calamidade pública do município como argumento para a desapropriação.

Já a prefeitura de Nova Friburgo anunciou construção de três mil apartamentos em uma área de 2.6 milhões de metros quadrados desapropriada na Fazenda da Laje, localizada em Riograndina, a aproximadamente 1,5 km do centro do Distrito de Conselheiro Paulino. O imóvel foi avaliado previamente em R$ 544 mil.

Linha de crédito


O secretário estadual do Ambiente, Carlos Mine, e a presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marilene Ramos, devem se encontrar na semana que vem com a presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Ramos Coelho, para tratar da abertura de uma linha de crédito para a compra assistida de imóveis voltada aos moradores da Região Serrana que perderam seus imóveis. Segundo Mine, que sobrevoou a região afetada pelas chuvas, a modalidade de compra assistida de imóveis poderia beneficiar moradores que não se enquadrem nas regras do programa federal Minha Casa Minha Vida. “A presidente da Caixa se mostrou interessada em apoiar o esforço que vamos ter para realocar as pessoas que ficaram sem suas casas. Porque será grande a dificuldade em impedir que esses moradores voltem para as residências em área de risco por não terem opção”.

Mine disse que a modalidade de compra assistida foi usada com sucesso nas obras que contra enchentes que vem sendo concluídas na Baixada, onde duas mil famílias foram realocadas nos últimos três anos.

A presidente Dilma Rousseff pediu ontem pressa ao Banco Mundial (Bird) na liberação de recursos para o Rio. A instituição está negociando com o governo estadual um empréstimo de R$ 800 milhões (US$ 485 milhões) para programas de remoção de moradores de áreas de risco.

Fonte: Jornal Extra