Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Trabalhadores da construção civil têm reajuste de 9,75% em Mogi Guaçu e região

Texto: Redação AECweb

O objetivo é equiparar os valores praticados na capital paulista

03 de junho de 2011 - O SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo) e o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Mogi Guaçu, Estiva, Espírito Santo do Pinhal, Itapira, São João de Boa Vista, Aguaí e Santo Antonio do Jardim assinaram em 24 de maio a Convenção Coletiva de Trabalho relativa à data-base de 1º de maio.

Os trabalhadores tiveram reajuste salarial de 9,75%. Aqueles contratados a partir de 1º de maio de 2010 até 30 de abril de 2011 tiveram reajuste proporcional. Novos pisos passarão a valer em fevereiro de 2012. O objetivo é equiparar os valores praticados na capital paulista.

A partir de 1º de Fevereiro de 2012 os pisos serão os seguintes:

Trabalhadores não qualificados
– servente, contínuo, vigia, auxiliares de trabalhadores qualificados e demais trabalhadores cujas funções não demandem formação profissional: R$ 910,80 ou R$ 4,14 por hora, para 220 horas mensais.

Trabalhadores qualificados – pedreiro, armador, carpinteiro, pintor, gesseiro e demais profissionais qualificados não relacionados: R$ 1.086,80 mensais, ou R$ 4,94 por hora, para 220 horas mensais.

Trabalhadores qualificados em obras de montagem de instalações industriais, no valor de R$ 1.328,80, ou R$ 6,04 por hora, para 220 horas mensais.

De acordo com o vice-presidente de Capital-Trabalho do SindusCon-SP, Haruo Ishikawa, "o reajuste é fruto da negociação entre as partes, e o SindusCon-SP espera que os sindicatos dos trabalhadores se unam às empresas em favor de uma maior qualificação dos trabalhadores e da desoneração dos investimentos em novas tecnologias que elevem a produtividade. Desta forma, com aumento da produtividade, se buscará atenuar o efeito do aumento salarial sobre o custo das obras".

Alimentação

O valor do tíquete-refeição subiu para R$ 13,20. Dentre as opções de alimentação, agora figura um vale-supermercado mensal de R$ 140. Também deverá ser fornecido café da manhã e lanche da tarde. A opção da cesta básica de 36kg foi mantida e agora conta com uma composição mais balanceada.

Subiu para R$ 35 mil a indenização mínima que a empresa que não mantiver seguro de vida em grupo deverá pagar, na ocorrência de morte ou invalidez permanente por acidente de trabalho.

As disposições da convenção deverão valer Mogi Guaçu, Estiva, Espírito Santod o Pinhal, Itapira, São João da Boa Vista, Aguaí e Santo Antonio do Jardim. Continuam em vigor as demais disposições da convenção coletiva firmada em 2010, como a obrigatoriedade do fornecimento de protetor solar, de uniforme, o valor das horas extras e o banco de horas.

Fonte: Sinduscon - SP

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: