Trabalhadores do setor entram em greve

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Em Belém, classe da construção civil inicia greve geral na capital paraense nesta segunda, 2. Operários pedem reajuste salarial e benefícios trabalhistas

02 de setembro de 2013 - Cerca de 11 mil trabalhadores da construção civil paralisaram as atividades na manhã desta segunda-feira (2), de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil. A classe inicia greve geral na capital paraense.

De acordo com Ailson Cunha, do sindicato, os trabalhadores reivindicam salário de R$ 1.200 para os operários, de R$ 842 para os serventes, cesta básica, vale transporte em dinheiro, entre outros benefícios.

Os manifestantes se reúnem em vários pontos da cidade. Eles seguem para a sede do Sindicato dos Trabalhadores, na travessa 9 de Janeiro. Após reunidos, a intenção é seguir para a sede do Sindicato da Indústria da Construção do Estado do Pará (Sinduscon-PA).

Por conta das manifestações, o trânsito na capital paraense começa a ficar complicado.

Por meio de sua assessoria de imprensa, o Sinduscon informou que recebeu na última sexta (30) a documentação dos sindicatos de trabalhadores do setor, na qual é formalizado o estado de greve a partir de 00h desta segunda (2). “O Sinduscon-PA reconhece a greve como um direito legítimo do trabalhador, mas lamenta a posição, historicamente adotada pelos sindicatos laborais, diante da oferta de reajustes acima da inflação, o que já vem acontecendo nos últimos anos”, diz a nota.

O Sinduscon reafirma posição adotada em greves anteriores de não prosseguir as negociações enquanto durar a paralisação, além de não negociar os dias parados.

Fonte: G1