Venda de imóvel chega a R$ 1,5 bi em Mogi das Cruzes

Texto: Redação AECweb

Previsão atual é de que apenas neste ano as transações financeiras envolvendo os lançamentos imobiliários ultrapassem a margem de R$ 600 milhões.

11 de julho de 2011 - A venda de imóveis movimentou o expressivo montante de R$ 1,5 bilhão em Mogi das Cruzes nos três últimos anos. A alta cifra é referente apenas à comercialização de novos empreendimentos, lançados na Cidade entre os anos de 2008 e 2011, e pode ser considerada um demonstrativo claro do bom momento deste mercado no Município. A previsão atual é de que apenas neste ano as transações financeiras envolvendo os lançamentos imobiliários ultrapassem a margem de R$ 600 milhões - metade desse montante já foi efetivada.

Os dados, normalmente mantidos em sigilo pelas incorporadoras, foram revelados por um levantamento realizado pela Geoimovel Tecnologia e Informação Imobiliária, especializada em monitoramento e pesquisa do mercado nacional de imóveis. A firma acompanha o setor em Mogi das Cruzes há oito anos, sendo que desde 2008 possui estatísticas atualizadas mensalmente sobre os lançamentos de novos empreendimentos. Nessa semana, O Diário teve acesso, com exclusividade, aos dados do trabalho desenvolvido pela empresa no Município.

De acordo com as pesquisas, entre janeiro de 2008 e maio de 2011, Mogi das Cruzes recebeu um total de 68 novos empreendimentos - entre loteamentos e condomínios verticais e horizontais. Mais de 30 incorporadoras investiram na Cidade e, juntas, disponibilizaram no mercado um total de 10.995 unidades. Os dados indicam ainda que 84% dos imóveis foram vendidos em transações que somaram R$ 1.564 bilhão. O cálculo utiliza como referência os valores de avaliação das unidades ainda na planta dos empreendimentos. Na prática, isso indica que o montante de vendas pode ter sido ainda maior do que o apontado pelas pesquisas.

Nos três últimos anos, o maior volume de transações financeiras foi registrado em 2008, quando foram lançadas 4.435 unidades. Deste total, 98% já foram vendidas, por um valor estimado em R$ 607 milhões. No ano seguinte, houve uma queda expressiva no número de lançamentos. Apenas 1.538 novos imóveis entraram no mercado, mas 96% deles foram vendidos por cerca de R$ 155 milhões.

O diretor técnico da Geoimovel, Marcelo Brito Molari, explica que a redução registrada no período deveu-se aos reflexos da crise econômica mundial. Já em 2010, o mercado reagiu e lançou 3.409 novas unidades em Mogi. Destas, 85% já estão vendidas e somaram, juntas, a cifra de R$ 428 milhões.

Apenas nos primeiros cinco meses de 2011 já foram movimentados R$ 374 milhões e as previsões para o restante do ano são bastante otimistas. A expectativa é de que até dezembro os números se assemelhem aos resultados registrados em 2008, com vendas superiores a R$ 600 milhões. Entre janeiro e maio, Mogi das Cruzes já recebeu o lançamento de 1613 novas unidades, sendo que 58% foram vendidas. Isso quer dizer que a Cidade possui mais de 600 unidades disponíveis no mercado atualmente. De acordo com a Geoimoveis, o estoque representará cerca de R$ 250 milhões em vendas futuras.

As pesquisas também indicam que há pelo menos mais 20 novos empreendimentos previstos para breve lançamento na Cidade. "Ao analisarmos os gráficos, percebemos que 2011 está prometendo chegar perto do desempenho registrado em 2008. Em termos financeiros, já estamos quase batendo o resultado. Acredito que, com os novos empreendimentos, chegaremos também a um número próximo de unidades. Todo esse cenário demonstra que existe demanda em Mogi das Cruzes", destacou Marcelo Molari.

Engenheiro civil por formação, Marcelo Molari explica que, a partir de agora, o grande desafio da Cidade será determinar a demanda exata do mercado imobiliário mogiano para que as incorporadoras tenham condições de traçar planos futuros. "Vamos elaborar um novo estudo para saber quantos novos empreendimentos poderão ser lançados em Mogi das Cruzes e qual o público do mercado. Para isso, vamos analisar a cadeia produtiva porque trata-se de uma questão de avaliação da renda da população".


Incorporadoras

As pesquisas da Geoimoveis também indicam quais as incorporadoras que mais investem em Mogi das Cruzes. De acordo com as estatísticas, as principais são as construtoras Helbor, MRV, Damebe, J.Bianchi e Tenda.

Fonte: Diário de Mogi - SP