Vendas de imóveis novos em SP caem 17,9% em agosto, diz Secovi

Texto: Redação AECweb

Foram vendidas 2.234 unidades em agosto, ante 2.722 no mês anterior. Segmento de dois dormitórios foi responsável por 67,8% das vendas.

14 de outubro de 2011 - A venda de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo registrou queda de 17,9% em agosto, na comparação com o mês anterior. Foram vendidas 2.234 unidades em agosto, ante 2.722 unidades no mês anterior. No entanto, na comparação com o mesmo período de 2010, houve crescimento de 36,4%. Os números foram divulgados nesta sexta-feira (14) pelo Secovi-SP, o sindicato da habitação paulista.

De acordo com o levantamento, as construtoras venderam 13,3% do estoque de imóveis em agosto, abaixo dos 16,9% de julho, o que mostra desaceleração na velocidade das vendas.

Segundo o Secovi-SP, a cidade teve 3.687 unidades residenciais lançadas em agosto, com crescimento de 35% ante julho (2.732 unidades) e mais do que o dobro em relação às 1.741 unidades de um ano antes.

O segmento de dois dormitórios foi responsável por 67,8% das vendas (1.514 unidades). Imóveis de 3 dormitórios aparecem em seguida, com 469 unidades vendidas e participação de 21%.

Já na região metropolitana de São Paulo - composta por 39 municípios, incluindo a capital - foram vendidas 5.072 unidades no oitavo mês do ano, com alta de 11,4% em relação a julho. Na comparação anual, o aumento foi de 32,6%. As vendas na Grande São Paulo representaram 15,6% do total de imóveis em estoque, acima dos 14,7% de julho.

Em nota, Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP, avalia que o comportamento adverso do mercado na capital está ligado a fatores que vão desde a escassez de terrenos até entraves ligados à legislação urbanística. Apesar disso, ele destaca que a diferença das vendas no acumulado do ano já foi maior, chegando a marcar queda de 49,6% no primeiro trimestre.

Fonte: G1