Vendas de imóveis novos registra alta de 1,9% em abril na Grande São Paulo

Texto: Redação AECweb

Pesquisa do Secovi-SP (Sindicato da Habitação) aponta comercialização de 7.728 unidades nos 39 municípios que compõem a Região Metropolitana

14 de julho de 2010 - A Região Metropolitana de São Paulo, composta por 39 municípios, registrou em abril a comercialização de 7.728 unidades novas residenciais, alta de 1,9% sobre o total vendido em março (7.585 moradias).

De acordo com o Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP, que realiza a pesquisa sobre o mercado de imóveis novos residenciais, o desempenho de comercialização medido pelo indicador Vendas sobre Oferta (VSO) foi de 26,2% no quarto mês do ano, diante dos 23,3% percebidos em março.

Segmentação por dormitórios

O crescimento das vendas em unidades ocorreu devido ao incremento de 20,9% no segmento de 2 dormitórios. O escoamento das unidades de 3 quartos sofreu redução de 9,4%, com 3.039 operações de compra contra 3.353 transações observadas no mês anterior.

Já o ritmo de comercialização aumentou no nicho de 3 dormitórios, de 21,8% em março para 22,2% em abril. Novamente, destaque para unidades de 2 dormitórios, com velocidade de venda passando de 32,4% para 42,7% no período.

Comparativo com o mercado da cidade de São Paulo

Dentre os 39 municípios que integram a Região Metropolitana de São Paulo, a Capital respondeu por 41,9% do total escoado em abril. Considerando a composição das vendas por segmentação de dormitórios, percebe-se claramente a diferença no comportamento das unidades de 2 dormitórios. Esse nicho representa 43% das vendas na RMSP contra 36,6% na cidade de São Paulo.

No segmento de 3 dormitórios, a participação também cresce de 32,5% na Capital para 39,3% na Grande São Paulo (RMSP). "Uma explicação para este comportamento é a concentração das unidades de 4 dormitórios na cidade de São Paulo, que respondeu pela comercialização de 454 imóveis de um total de 672 unidades do segmento negociadas na região em abril", ressalta Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP, lembrando que a participação desse nicho na cidade foi de 14% no quarto mês do ano.

Vendas no quadrimestre

A Região Metropolitana totalizou 24.525 unidades residenciais novas comercializadas nos primeiros quatro meses de 2010. A cidade de São Paulo foi responsável por 47,7% do total negociado no período, com 11.697 unidades vendidas. As demais cidades responderam pela venda de 12.828 moradias, equivalente à participação de 52,3% do total escoado na região neste ano.

De acordo com a Embraesp - Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio, o volume total de moradias lançadas no período foi de 18.800 unidades. Percebe-se uma diferença de 5.725 unidades lançadas diante das vendas efetivadas no ano. Em termos de lançamento, a cidade correspondeu a uma fatia de 45,5%, com 8.563 imóveis colocados em oferta de janeiro a abril.

Considerações

A pesquisa de abril demonstra a nítida vocação das demais cidades da Região Metropolitana para os segmentos de 2 e 3 dormitórios. Do total comercializado de 4.492 imóveis residenciais novos, 91,8% estavam concentrados em ambos os nichos.

"A tradição de se lançar imóveis de 4 dormitórios em bairros nobres da cidade de São Paulo e a evolução dos demais municípios de receber a classe assalariada, e de concentrar centros comerciais locais, poderiam ser possíveis razões para a predominância dos segmentos de 2 e 3 dormitórios" observa Petrucci.

Segundo ele, o aumento da relevância econômica dos demais municípios da região pode provocar ajustes nessa composição de segmentos. Porém, afirma, percebe-se um fenômeno de dissociação do conceito de alto padrão com unidades de 4 dormitórios. "Ou seja, não há mais necessidade de se considerar que somente os grandes apartamentos são de alto padrão. Uma moradia de 2 ou 3 dormitórios poderá ser de padrão econômico ou de alto padrão de acabamento", conclui.

Fonte: Secovi-SP