Vendas de material de construção sobem 4% em novembro

Texto: Redação AECweb

Um dos destaques do mês foi o setor de argamassas.

01 de dezembro de 2011 - As vendas do varejo de material de construção tiveram alta de 4% em novembro na comparação com o mês de outubro, segundo levantamento da Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção) realizado pelo Ibope. “Com este crescimento, retomamos os números de maio/junho deste ano, ainda abaixo dos meses de julho/agosto/setembro e bem abaixo do primeiro trimestre do ano”, explica o presidente da Anamaco, Cláudio Conz.

Na comparação novembro de 2011 sobre novembro de 2010 as vendas ficaram em 3,5%. Já no comparativo dos últimos 12 meses o varejo apresentou crescimento ligeriamente maior (2,5%), sendo que nos últimos 12 meses de 2011 o índice está em 4%.

Um dos destaques do mês foi o setor de argamassas, que cresceu 6,7%, seguido do de metais (6%), e interruptores e tomadas (1,6%). O destaque negativo ficou para tubos e conexões de PVC que teve um desempenho estável na comparação com outubro.

Segundo o presidente da Anamaco a restrução do crédito ao consumidor é o maior motivo para a desaceleração das vendas do setor. “Os bancos médios que atuavam no setor desapareceram e, durante todo o ano, os recursos do FGTS para financiar material de construção via Caixa Econômica Federal foram pífios. Além disso, os bancos grandes deram pouca atenção para esta carteira de empréstimos, apesar de seu baixo grau de inadimplência”, explica.

Conz também afirma que as medidas econômicas tomadas em abril pelo Governo estão sendo sentidas até agora. “Estamos sentindo as consequências das medidas econômicas que o governo tomou em abril e que infelizmente afetaram o acesso ao crédito no país. Se em dezembro o nosso desempenho repetir o de novembro, vamos fechar o ano de 2011 com um crescimento de 4,5%, o que não é ideal, mas é bem relevante se lembrarmos que estamos vindo de uma série histórica de crescimento nos últimos 10 anos”, completou.

O presidente da Anamaco, que participou de reunião com o Ministro da Fazenda Guido Mantega na semana passada em São Paulo, disse que o ministro reafirmou a disposição do Governo em reverter a  curva de desempenho que o varejo vem apresentando. “Ele disse que o Governo vai tomar as medidas necessárias para uma maior liberação do crédito, reduzindo seu custo, que ficou muito elevado após as medidas tomadas em abril deste ano”, declarou.

Apesar dos contratempos, o setor se mantém otimista em relação a 2012. “A massa salarial e o emprego tendem a aumentar mais neste período. Se somarmos a isto uma maior disponibilidade de crédito, podemos chegar a um crescimento superior a 5% em 2012”, finaliza Conz.

Em 2010, o varejo de material de construção teve um desempenho 10,6% superior a 2009, atingindo faturamento recorde de R$ 49,80 bilhões.

Fonte: Anamaco