Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Vendas de revestimento cerâmico aumentam

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Para o ano que vem, vendas devem crescer 5,5%

21 de novembro de 2013 - As vendas totais de revestimentos cerâmicos crescerão 5,5% em volume no ano que vem, ante os 850 milhões de metros quadrados deste ano, conforme projeção da Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimentos, Louças Sanitárias e Congêneres (Anfacer).

A estimativa baseia-se na perspectiva de continuidade da execução dos programas sociais relacionados à construção civil e da manutenção da disponibilidade de crédito, conforme o diretor-superintendente da Anfacer, Antonio Carlos Kieling.

A projeção para 2014 é semelhante à estimada pela entidade para este ano. No início de 2013, a previsão era de aumento das vendas totais de 6%.

De acordo com o diretor-superintendente da Anfacer, a expansão, neste ano, um pouco abaixo da inicialmente esperada, deve-se à desaceleração do crescimento da economia brasileira.

Do total comercializado pelos fabricantes de revestimentos cerâmicos, cerca de 65% é escoado por meio das revendas. A parcela restante é direcionada a construtoras e, em menor escala, à exportação. Os revestimentos cerâmicos produzidos no Brasil são embarcados para 120 países, com destaque para a América Latina e os Estados Unidos.

Em 2006 e 2007, as exportações corresponderam a quase 30% da produção, mas a parcela está em torno de 6% a 7% atualmente. Conforme Kieling, o setor ainda enfrenta dificuldades para se tornar mais competitivo, como o custo do gás natural.

Em relação às importações, o cenário é de estabilidade, com tendência de queda, segundo o representante da Anfacer. Em metros quadrados, foram importados 39,7 milhões em 2011, 38,8 milhões no ano passado, e a projeção para 2013 é de 37 milhões.

Neste ano, a capacidade instalada de revestimentos cerâmicos aumentou 3%, para 1,034 bilhão de metros quadrados, com a expansão de linhas produtivas principalmente do polo de Santa Gertrudes (SP). A produção efetiva estimada para o acumulado do ano é de 890 milhões de metros quadrados.

Incluindo todos os segmentos, as vendas de materiais de construção terão crescimento de 4% em 2013, conforme a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat). Até outubro, a expansão foi de 4,2%. Conforme projeção da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a indústria de materiais vai crescer 5,5% em 2014.

Fonte: Valor Econômico

 

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: