Filtrar

PESQUISE POR ESTADO E REGIÃO

REGIÃO DE ATENDIMENTO

Elevadores residenciais e comerciais

Independentemente de ser elevador residencial ou comercial, o elevador precisa, antes de tudo, ser seguro. Depois, confortável. E, por que não, também bonito? Além dessas características, equipamentos que gastam menos energia têm sido cada vez mais procurados.

O modelo e o design, assim como os recursos tecnológicos empregados, dependem do tipo de edificação onde o elevador será instalado.

Quanto mais tecnológico for o equipamento, mais caro e também mais difícil será mantê-lo, já que necessitará de profissionais especializados. No entanto, com um elevador sofisticado, o imóvel ganha em estética e em valor de mercado.

Segurança em Elevadores residenciais e comerciais

Para garantir a segurança dos usuários, todos os fabricantes de elevadores devem seguir a Norma Brasileira NBR nº 5665 – Cálculo do Tráfego nos Elevadores, além da lei de cada município. A norma é importante para calcular a população que circula na edificação e, assim, estabelecer a quantidade de elevadores necessária, a capacidade de cada um e a velocidade com que deve operar.

Existem, ainda, algumas normas da ABNT, como a NBR NM 207 – Elevadores Elétricos de Passageiros – Requisitos de Segurança para Construção e Instalação e a NBR 5666 – Elevadores Elétricos Terminologia, entre outras. Já a Lei Federal nº 5296/2004 estipula regras gerais para a acessibilidade de pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida.

De acordo com as legislações, a manutenção de elevadores residenciais (de edifícios ou residências unifamiliares) e comerciais deve ser feita uma vez por mês para evitar que as portas se abram com o equipamento em movimento, o mau contato nas botoeiras da cabine ou dos andares, o desnível entre a cabine e o andar quando parado e o rompimento dos cabos.

A manutenção consiste em inspeção das máquinas, comandos, portas e poço para identificação de componentes desgastados, além de limpeza, lubrificação e ajustes.

Leia matérias sobre as normas que regulamentam os elevadores.

Especificação e instalação de Elevadores residenciais e comerciais

Os elevadores devem ser especificados de acordo com o local em que serão instalados. Assim, podem ser elétricos com ou sem casa de máquinas ou hidráulicos, indicados para prédios de até seis andares. Os elevadores sem casa de máquina são ideais para residências unifamiliares. Nesse caso, a casa de máquinas fica no fosso.

Os elevadores comerciais têm cabines maiores e são mais velozes, fazendo com que o tempo de espera seja menor do que em edifícios residenciais. Para obter esse resultado, as máquinas e os mecanismos de porta precisam suportar um maior número de partidas por hora.

Já os elevadores de carga, presentes em shopping centers e indústrias, precisam de uma especificação própria, que preveja um piso reforçado. Isso porque, enquanto no elevador de passageiros o peso é distribuído em vários pontos da cabine, no de carga, o peso pode ficar concentrado em um único local.

O elevador deve ser instalado quando a obra estiver sendo finalizada. No caso de edifícios, quando o último andar estiver sendo construído é que a casa de máquinas deve ser feita, e os componentes desmontados, entregues. 

Primeiramente, constrói-se o fosso (ou caixa do elevador). Depois, é feita a prumada para verificar se o fosso está reto. A próxima etapa é montar as guias junto com a máquina de tração.

Leia matéria completa sobre especificação de elevadores residenciais e comerciais.

Tecnologias em Elevadores residenciais e comerciais

Dentre as tecnologias disponíveis no mercado, estão o quadro de comando com drive de frequência variada, que desacelera o elevador aos poucos, eliminando os trancos durante o trajeto; sensores ópticos instalados no poço, que identificam a posição da cabine e garantem que ela fique nivelada com o andar; sistema de gerenciamento de acesso e tráfego para reduzir filas em edifícios comerciais; botoeiras e comandos eletrônicos com painéis LCD e dispositivos de acessibilidade; envio de diagnósticos via SMS aos técnicos responsáveis; e gerenciamento de acesso por biometria ou cartão, proporcionando mais segurança.

Há, ainda, outras inovações: novas formas de se acionar o elevador; polias feitas com materiais variados; substituição dos cabos de aço por cintas de tração; elevadores sem casa de máquinas, com dispositivos de segurança embutidos no software de comando; e inversores específicos para elevadores.

O resultado da aplicação desses recursos são elevadores mais silenciosos, confortáveis e resistentes.

Saiba mais sobre modernização de elevadores residenciais e comerciais

Design

Elevadores com designs interessantes valorizam o empreendimento. E as ideias têm ido muito mais além da simples “caixa de aço inox”. Os materiais mais usados para a decoração são vidros serigrafados coloridos, aço, madeira e mármore.

Como o mármore é muito pesado, ele exige uma máquina forte para suportar a carga, o que torna essa solução cara. Uma opção mais leve e também mais em conta é a placa slimstone, composta de rocha natural e laminado melamínico.

É ideal que os responsáveis pelo design trabalhem em parceria com os arquitetos projetistas e com os fabricantes do equipamento, de forma a alinhar as questões técnicas com as estéticas. A estética não pode interferir, de modo algum, no funcionamento do equipamento.

Elevadores econômicos

Os elevadores atuais consomem menos energia, consequentemente, colaboram com a redução da emissão de CO² na atmosfera. O principal recurso que possibilita essa diminuição é o inversor de frequência colocado nos comandos eletrônicos para reduzir os picos de partida.

Há, ainda, outros recursos sustentáveis e eficazes, como as lâmpadas LED e os sistemas inteligentes que desligam alguns componentes do elevador automaticamente após algum tempo inativos, além de softwares como o Miconic 10, ideais para elevadores corporativos.

Com esses softwares, o usuário digita o andar de destino em um painel instalado no hall, fora da cabine. O comando detecta o andar de destino de vários usuários, identifica a posição de cada cabine e determina qual delas vai atender a cada grupo (pessoas que vão ao mesmo andar ou a andares próximos) em menos tempo.

Elevadores públicos

O Elevador Lacerda, que liga a cidade baixa à cidade alta em Salvador (BA), é o mais famoso elevador brasileiro.

Mas há muitos outros que, além da funcionalidade, destacam-se por outro motivo. Como o Complexo Elevador Rubem Braga, que liga o morro Cantagalo ao bairro de Ipanema e à estação de metrô General Osório, no Rio de Janeiro/RJ, por meio de elevadores panorâmicos que recebem uma iluminação especial à noite.

Gostou de saber mais sobre elevadores comerciais e residenciais? Então, veja outras referências na Galeria da Arquitetura.