Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Usar rejunte acrílico ou epóxi? Como decidir?

Publicado em: 27/05/2016

A indústria química tem se dedicado cada vez mais no desenvolvimento de produtos para a construção civil. Um dos itens que sofreu considerável evolução ao longo dos anos foi o rejunte. Este material é utilizado para preenchimento das juntas executivas, resultantes do assentamento de revestimentos, tanto em pisos como em paredes.

Além do aspecto ótico, o rejunte é responsável por absorver as movimentações e por compensar a variação das medidas do revestimento, ajudando a garantir a segurança para a utilização do assentamento.

Para o consumidor, o acabamento final do rejunte tem se tornado fator primordial na hora da escolha do produto. As juntas devem ser o mais imperceptível possível, visando não interferir na aparência dos revestimentos, cada vez mais sofisticados. O objetivo é encontrar um rejunte que apresente uma superfície lisa e suave, deixando o ambiente harmonioso.

Com o objetivo de atender as mais diversas expectativas dos clientes, os fabricantes de químicos para construção investiram na criação de dois novos tipos de rejuntes: acrílico e epóxi. Ambos conferem um acabamento liso e homogêneo e podem ser comercializados em diversas cores. Porém, qual deles é o mais adequado para a sua obra?

O rejunte epóxi não vem pronto para uso, ou seja, é necessário realizar a mistura de dois ou até três componentes (dependendo do fabricante) para se obter o produto final. Vale ressaltar que nunca se deve adicionar água à mistura, pois isto irá prejudicar o desempenho do material.

O epóxi pode ser utilizado tanto em ambientes internos como externos. É indicado, principalmente, para áreas industriais ou comerciais com alto tráfego, como hospitais, frigoríficos, estádios, galpões, garagens etc. Dependendo do fabricante também é próprio para piscinas.

O acabamento final deste produto é excelente, porém alguns cuidados precisam ser tomados para atingir este resultado. Primeiramente, realizar a mistura de acordo com as especificações do fabricante e não acrescentar qualquer outro componente além dos itens que estiverem dentro da embalagem. Aplicar o rejunte imediatamente após finalizar o processo de mistura e realizar a limpeza em, no máximo, dez minutos. Uma vez completamente seco é bem trabalhoso retirar este resíduo sem danificar o revestimento.

Devido às dificuldades inerentes do rejunte epóxi, os fabricantes desenvolveram o rejunte acrílico com a intenção de oferecer uma solução com acabamento semelhante ao epóxi, mas com uma aplicação muito mais fácil e segura. Um grande diferencial é que o produto já vem pronto para uso, o que aumenta a produtividade e minimiza erros. Além disso, caso o aplicador não realize a limpeza no tempo indicado na ficha técnica, existem produtos no mercado capazes de remover os resíduos do rejunte sem prejudicar o revestimento.

Outro aspecto que precisa ser destacado é em relação a resina do rejunte epóxi. Esta apresenta forte tendência de amarelar em áreas expostas aos raios ultravioletas. Isso vale especialmente para cores claras, como o branco. Isso não ocorre no rejunte acrílico, então mais uma vantagem!

O que chama muita atenção é que, apesar de todos estes benefícios, o custo do rejunte acrílico é inferior ao do rejunte epóxi, tornando o produto ainda mais atraente aos olhos do consumidor. 

É extremamente importante destacar que caso se trate de uma área sujeita a contato contínuo com materiais químicos ou com considerável solicitação mecânica, como cozinhas industriais, fábricas, hospitais, piscinas e etc., o rejunte epóxi é o material recomendado.

Excluídas as áreas mencionadas previamente, em uma obra de reforma ou em uma nova construção, o rejunte acrílico é a melhor e mais eficiente solução para preencher as juntas entre as placas de revestimento.