Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

5 dicas para evitar sobrecargas elétricas durante a pandemia

Não usar a mesma tomada para conectar vários equipamentos, evitar diferentes ligações ao mesmo tempo...veja as recomendações de engenheiros eletricistas

Publicado em: 02/07/2021Atualizado em: 07/07/2021

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Arenas e locais que receberão as Olimpíadas de Tóquio
Ligar vários equipamentos na mesma tomada é um das causas de sobrecargas elétricas nas residências (Créditos: Vlarvixof/ Shutterstock)

Sabe quando ligamos o chuveiro e, em seguida, o disjuntor da residência desarma? E quando a mesma situação acontece quando ligamos vários aparelhos na mesma tomada usando adaptadores?

Trata-se de exemplos comuns de como a sobrecarga elétrica acontece. O desarme do disjuntor se dá, justamente, pelo excesso de carga conectada em determinado circuito ou tomada. Para proteger todo esse sistema de perigos maiores, o quadro elétrico desliga automaticamente.

Com a tendência do home office, o consumo de energia nas residências aumentou muito e, consequentemente, os riscos de problemas com eletricidade.

Pensando nisso, listamos 5 dicas para evitar sobrecargas elétricas durante a pandemia e garantir maior segurança para sua residência.

1. Conheça a capacidade elétrica do imóvel

A primeira dica indispensável para evitar a sobrecarga é entender a capacidade elétrica do imóvel. Ou seja, até que ponto a instalação elétrica suporta aparelhos ou equipamentos muito potentes.

Essa etapa é importante, inclusive, para saber se realmente as instalações estão de acordo com as normas vigentes.

“Contrate um profissional qualificado e registrado para analisar as instalações; veja se os disjuntores existentes são adequados ou se há necessidade de alguma alteração”, orienta o engenheiro eletricista Renato Archanjo, diretor-geral da Mútua do Crea-SP (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de São Paulo).

2. Compre equipamentos adequados

Outra dica importante para garantir a segurança das instalações elétricas é realizar uma pesquisa apurada na hora de comprar os equipamentos – que tenham alta eficiência e baixo consumo de energia.

“É essencial verificar o Selo Procel do equipamento e escolher o modelo com classificação A”, informa Archanjo.

3. Não utilize a mesma tomada para ligar vários equipamentos

Quem nunca utilizou adaptadores ou “benjamins” para ligar mais de um aparelho na mesma tomada que atire a primeira pedra! Como já dito anteriormente, trata-se de um hábito comum – e muito errado – quando o assunto é consumo de energia.

“As tomadas são dimensionadas para atender a determinada capacidade e acabam precisando suprir uma demanda de energia que não suporta. Isso caracteriza uma questão de sobrecarga elétrica”, explica o engenheiro elétrico Guilherme Brancher, presidente da ABEE-RS (Associação Brasileira de Engenheiros Eletricistas – Departamento do Rio Grande do Sul).

Já o engenheiro elétrico Vinicius Diedrich conta que o uso de muitos aparelhos no mesmo circuito ou tomada acontece, muitas vezes, pois as pessoas não encontram tomadas suficientes na residência.

“Com a pandemia e a mudança radical para o home office, muitas pessoas devem ter notado e sentido a falta de tomadas para ligar tantos equipamentos (notebook, celular, impressora etc.)”, afirma.

4. Não ligue diversos equipamentos ao mesmo tempo

Outra situação comum em qualquer residência é manter uma série de aparelhos ligados ao mesmo tempo: fogão, ar-condicionado, chuveiro, micro-ondas, televisão, computador etc. Apesar de as instalações serem necessárias em algumas situações, deve-se estar atento para corrigir esses hábitos.

“Isso certamente pode causar uma sobrecarga elétrica, além da queima de aparelhos”, informa Archanjo.

5. Realize uma reforma nas instalações elétricas

Lâmpadas que piscam ao ligar outros equipamentos; estalos constantes em nobreaks ou estabilizadores; aquecimento nos cabos ou disjuntores; mau funcionamento ou queima frequente de determinados aparelhos...esses são alguns dos sinais físicos que podem indicar a necessidade de manutenção ou reforma elétrica.

Além disso, quando a edificação for ampliada ou houver a necessidade de aumentar o número de tomadas/iluminação, é importante buscar um profissional qualificado e habilitado/registrado no Crea para realizar a readequação das instalações elétricas.

“Cada caso é particular. Deve-se periodicamente inspecionar as instalações elétricas em busca de pontos de aquecimento, mau contato, cabos esmagados ou com a isolação danificada e/ou problemas nas emendas. É sugerido que todas as residências tenham múltiplos circuitos com disjuntores individuais a cada circuito, dispositivo diferencial residual (DR) e dispositivos de proteção contra surtos (DPS)”, finaliza Diedrich.

Leia também: Baixe o “Kit de Manutenção Predial” e melhore seu planejamento e ações preventivas!