Conheça rochas ornamentais indicadas para revestimentos externos

Resistência às intempéries, facilidade de manutenção e rugosidade são fatores a considerar no momento de escolher uma pedra para área externa

Publicado em: 07/07/2021Atualizado em: 04/08/2021

Texto: Juliana Nakamura

Ardósia
A ardósia é indicada para projetos que visam tirar proveito de tons escuros (Foto: BK foto/Shutterstock)

De uso intenso e consagrado na arquitetura brasileira, rochas naturais como granitos, ardósias e quartzitos encontram muitas aplicações como revestimento de áreas externas, tanto em pisos, quanto em fachadas. Os motivos que explicam o interesse tão antigo por esses materiais passam pela elevada durabilidade e pelo aspecto estético com múltiplos padrões cromáticos.

Mas embora sejam associadas à durabilidade, as rochas naturais precisam ser escolhidas com critério. Afinal, não é toda pedra que tolera a intensa exposição ao sol, à chuva, aos ventos e aos poluentes da atmosfera. Os mármores, por exemplo, embora sejam matérias-primas nobres, não são indicados para essas aplicações, já que são compostos de minerais solúveis em águas ácidas.

Outro ponto a considerar é que, em áreas externas, as pedras costumam revestir grandes áreas, tornando ainda mais importante o custo e a facilidade de manutenção e limpeza.

Baixe o “Kit de Manutenção Predial” e melhore seu planejamento e ações preventivas!

Conhecer as rochas, em especial suas propriedades físicas e físico-mecânicas, permite melhor entendimento do seu comportamento sob diferentes solicitações. A seguir você pode conferir mais informações sobre quatro rochas naturais bastante recomendadas para aplicações externas. Confira:

1) Granitos

Amplamente utilizados em pisos e em fachadas, os granitos têm alta resistência contra manchas, riscos, impactos e agentes naturais. Também possuem baixa porosidade, o que possibilita sua instalação em ambientes úmidos. Os granitos comerciais apresentam granulação e coloração variada, com tons de amarelo, branco, cinza, azul, rosa e verde.

As principais vantagens do granito são a dureza, a impermeabilidade e a maior resistência às manchas, em comparação com outros materiais naturais
David Bastos

“As principais vantagens do granito são a dureza, a impermeabilidade e a maior resistência às manchas, em comparação com outros materiais naturais”, comenta o arquiteto David Bastos.

Outro ponto forte é a disponibilidade de diferentes acabamentos — flameados, jateados, polidos e escovados. Segundo Bastos, é importante, porém, escolher o acabamento em função do uso da região revestida. “Em uma área de piscina, por exemplo, deve ser usado piso com superfície rugosa”, lembra o arquiteto.

2) Pedra São Tomé / Quartzitos

Com aparência homogênea e tons claros que remetem ao mármore, a Pedra São Tomé é um quartzito extraído em Minas Gerais. Esse material se sobressai por sua alta resistência contra riscos e manchas, além de ter longa durabilidade, podendo se manter intacto por trinta anos. Antiderrapante, a São Tomé pode revestir pisos, paredes, bordas de piscina e fachadas.

Bastante aproveitada para compor caminhos, essa rocha natural é atérmica e pode ser cortada em diversos formatos e tamanhos. O mais usual é filete (canjiquinha). Em contrapartida, costuma ser assentada com juntas, que podem ser pontos de acúmulo de sujeira.

3) Pedra miracema

De extrema dureza e antiderrapante, a miracema é muito utilizada no revestimento de pisos, em pátios e calçadas. De fácil reposição, é facilmente encontrada em forma de placas com um preço acessível. Esse tipo de pedra, porém, precisa de manutenção constante, para que não absorva sujeira e não fique encardida.

A miracema pode ser encontrada em diversas tonalidades, o que garante uma aparência diversificada e com personalidade
Cláudia Alioniss

“A miracema pode ser encontrada em diversas tonalidades, o que garante uma aparência diversificada e com personalidade. Trata-se de uma boa alternativa para paredes e para áreas de piscina”, comenta a arquiteta Cláudia Alionis. A miracema-madeira é amarelada devido à presença de óxido de ferro, enquanto a miracema comum é encontrada nas cores cinza, bege e rosa.

4) Ardósias

Alternativa para projetos que visam tirar proveito de tons escuros, a ardósia é resistente a riscos e tem baixa porosidade. Como outras rochas ornamentais, pode ser submetida a acabamentos variados gerando faces polidas (brilhantes), escovadas (acetinadas) e rústicas (naturais). “Com preço acessível, é indicada para revestir área da churrasqueira, quintal e piscinas, tanto em pisos, quanto em paredes e fachadas”, explica Alionis. “Para uso em pisos, deve-se dar preferência para o acabamento natural, lixado ou escovado”, salienta a arquiteta, lembrando que quando molhadas, as superfícies naturais e polidas das ardósias tornam-se bastante escorregadias.

Leia também:

Revestimentos garantem resistência e beleza a cubas e bancadas
Veja dicas e recomendações para especificar revestimentos de ardósia

Colaboração técnica

Claudia Alionis
Foto: Rafael Renzo
Claudia Alionis — Arquiteta, urbanista e designer de interiores. Está à frente de escritório próprio onde desenvolve projetos residenciais, corporativos, comerciais e decorativos.
David Bastos
Foto: Tuca Reines
David Bastos — Arquiteto e urbanista, possui escritórios em Salvador (BA) e São Paulo (SP), onde desenvolve projetos residenciais e comerciais de alto padrão.