Ferramentas de penetração de solo fazem a diferença no desempenho do equipamento

Perda de afiamento é um dos motivos para realizar trocas e reposição desses componentes

Publicado em: 30/10/2014Atualizado em: 13/04/2015

Texto: Redação PE

Na busca do melhor desempenho e eficiência, a escolha das ferramentas de penetração de solo (FPS) é um fator importante para garantir o sucesso de operações como a penetração na pilha de material, além de representar resistência à abrasividade e ao impacto. Por isso, os usuários precisam avaliar criteriosamente esses componentes. Pelo alto valor pago pela aquisição de máquinas para construção, as ferramentas se tornam ainda mais importantes, pois sem elas, a capacidade operacional desses equipamentos se torna deficiente.

Para cada tipo de máquina, as FPS possuem uma finalidade. Os critérios de escolha devem considerar fatores como sistema operacional, potência e capacidade, ângulo, velocidade de ataque e forma geométrica da peça, além da qualidade do aço empregado na fabricação da ferramenta. É também necessário se atentar principalmente ao material que compõe a peça. É importante saber se ele resiste ao desgaste e a abrasão, a fim de garantir um melhor desempenho e maior vida útil das peças. 

Roberto Cárdia, gerente de marketing da Ecoplan, explica que as FPS precisam de reposição quando há perda de afiamento. “Quando a peça é nova, ela tem um ângulo de penetração que vai se perdendo com o uso. Outro fator importante é o nível de sílica no terreno. Em uma pedreira de granito, se a sílica for baixa, ela dura de seis a sete meses. Se a sílica for alta, no barro, por exemplo, a peça pode durar só seis dias. É relativo. Não existe tempo certo. Tem que observar o afiamento”, garante.

Maior durabilidade em ferramentas de aço

Para atuação em grandes impactos na construção ou mineração, algumas marcas de FPS estão utilizando o aço minério conhecido como Me 12. Ele se diferencia por possuir cromo, níquel, molibdênio e manganês, além de tratamento térmico, temperado e revenido, resistente a todos os tipos de minério.

As pontas reforçadas foram desenvolvidas para o serviço pesado realizado nas mineradoras e construtoras como escavação e carregamento. Com excelente ângulo de penetração e afiamento, aumentam a produtividade de escavadeiras e carregadeiras nesse tipo de operação.

Roberto Cárdia fala sobre essa nova fórmula, ideal para grandes impactos. “É um produto de qualidade muito diferenciada, com boa resistência ao impacto e durabilidade. Ótima escolha para um trabalho pesado em mineração e na construção”.

A empresa Everton FPS, uma das revendedoras Ecoplan, concorda com a qualidade do aço, mas prefere salientar que a melhor FPS depende mais da necessidade do consumidor, como explica Euler Miranda, proprietário da companhia.

O melhor produto varia de acordo com a necessidade do cliente. O material de penetração no solo precisa ser mais ou menos reforçado conforme o peso da peça. Ou seja, quanto mais pesada ela for, mais material para desgaste ela vai possuir e consequentemente, elevará seu custo”.

Ascensão do mercado chinês

Com a crise nos Estados Unidos e Europa, multinacionais montadoras de equipamentos, em especial as de origem asiática, começaram a instalar plataformas de produção no Brasil graças à elevada demanda por importação de máquinas, peças e componentes que conquistaram espaço no mercado doméstico. Segundo a Everton FPS, as fabricantes chinesas chegaram para ficar, pois possuem material de ótima qualidade e preço 40 % inferior aos concorrentes.

Além de revender Ecoplan e a chinesa NBLF, a empresa revende também a marca Futura, da Espanha, além da brasileira Metisa. A Everton afirma que todas FPS foram testadas nas maiores mineradoras e pedreiras do Brasil e aprovadas com um material de alta abrasão para ser utilizado também em terraplanagem ou uso geral.

Em toda linha, a Everton trabalha com material em liga de manganês, cromo, níquel e molibdênio com uma dureza Brinell de 450/550 HB, que vai do núcleo da peça até a sua extremidade. “O material importado é hoje uma realidade brasileira, em especial os itens de desgaste e ferramentas de penetração de solo”, afirma Euler Miranda, proprietário da Everton.

Por outro lado, Roberto Cárdia, da Ecoplan, concorda com Euler sobre a qualidade das FPS chinesas, mas garante que as ferramentas produzidas com aço Me 12 feito com cromo, níquel, molibdênio e manganês, são de melhor qualidade.

Na china, a mão de obra e os impostos são mais baratos. Se eles produzirem uma FPS com cromo, níquel, molibdênio e manganês,além de tratamento térmico, temperado e revenido, o produto ficaria muito mais caro”, finaliza o gerente de marketing. A Everton FPS também incluiu a produção de caçambas de até 80 toneladas em seu leque de produtos. Adicionalmente, a empresa trabalha com reforma de caçambas para diferentes tipos e portes de equipamentos. De acordo com a empresa, esse mercado tem boas demandas.

A FPS certa para cada tipo de máquina

Escavadeiras - O ideal é usar uma ferramenta de alta penetração, com ponta bastante afiada. O perfil de trabalho normalmente enfrentado por essas máquinas é de médio a alto impacto, com forte abrasão, sendo necessário grande poder de penetração e desagregação.

Os três principais modelos de ferramentas (pontas) para escavadeiras são:

Pontas para serviços leves ou gerais - Apresentam boa penetração e resistência ao impacto em serviços leves, mas sua durabilidade pode ser menor devido ao tipo de material a ser trabalhado.

Pontas reforçadas - Recomendadas para rochas ou minérios pesados, apresentam boa penetração e resistência ao impacto, devido a sua estrutura mais robusta, atingindo maior durabilidade.

Pontas para penetração ou afiadas - Seu perfil afiado e longo aumenta o poder de desagregação em rocha e minerais, além de penetrar melhor em solo argiloso. Torna o ciclo da máquina mais rápido, com economia de combustível e aumento da produtividade. Toda estrutura da lança e partes hidráulicas, sofrem um desgaste menor, e com isso param menos para manutenção.

Carregadeiras - Usar uma ponta mais reforçada e resistente, pois é importante reforçar em baixo da peça, onde a carregadeira faz o arrasto rente ao solo para o carregamento. As carregadeiras possuem um perfil de trabalho geralmente de baixo a médio impacto, porém com elevada interferência abrasiva, principalmente no momento em que o operador raspa a caçamba no chão para carregamento.

Tratores de esteira - Utiliza uma lâmina frontal. Atrás do trator, há o ripper, que possui “dentes” cortantes, instalados na parte traseira do trator, com a função de escarificar o terreno.

Motoniveladora - Principal ferramenta é a lâmina, que faz terraplanagem e ajuda arecompor e manter o bom estado das estradas de terra dos municípios.

 

Colaboraram para esta matéria

 
Roberto Cárdia - gerente de marketing da Ecoplan
 
Euler Miranda - proprietário da Everton FPS