RHs de construtoras dão dicas para engenheiros em formação. Confira

Saiba quais são as características mais valorizadas pelas empresas de construção e o que se espera do profissional do futuro

Publicado em: 13/03/2020

Texto: Juliana Nakamura

saiba mais sobre contratação de engenheiros
Candidatos com perfil flexível e com disposição para aprender são vistos com bons olhos pelos empregadores (foto: Sawat Banyenngam/shutterstock)

O engenheiro civil que atua dentro de construtoras é um profissional que deve compatibilizar uma série de habilidades técnicas e humanas. É preciso saber gerenciar, planejar, analisar e controlar atividades. Também é necessário lidar com a cobrança pelo cumprimento de metas pré-estabelecidas relacionadas a custos, prazos e qualidade.

Para os jovens universitários que estão se preparando para o ingresso no mercado de trabalho, vale compreender quais são as competências essenciais para os seus contratantes. Uma coisa é clara: o profissional que almeja sucesso não deve se contentar com um diploma em engenharia e com um registro no CREA (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura). É preciso ir muito além, como mostram as dicas a seguir.

1) MANTENHA A MENTE ABERTA

A construção civil passa por um momento de transformação, com muitas empresas voltando-se para a busca de inovação. Isso obviamente causa impacto nas características exigidas dos profissionais que atuam no setor.

“Quando penso em habilidades, hoje elas estão muito conectadas com as comportamentais. Neste ambiente de intensa transformação e mudança em que vivemos, precisamos de um perfil aberto ao novo, flexível e com disposição para aprender”, revela Jordana Albuquerque, superintendente de Gente e Gestão na HM Engenharia.

2) APRIMORE SUAS HABILIDADES INTERPESSOAIS

Em várias indústrias, a comunicação é uma das soft skills (habilidades interpessoais) muito valorizadas. Na construção civil é a mesma coisa. É esperado que os engenheiros saibam se comunicar claramente e adequadamente com clientes, colegas, chefes ou fornecedores.

"No nosso caso, valorizamos nos jovens talentos habilidade comportamental, proatividade, iniciativa e comunicação. É muito importante saber se expressar e se comunicar com todas as aéreas", salienta Rubia Moreira, gestora de recursos humanos da MPD Engenharia. Vale lembrar que se comunicar bem não significa apenas se expressar, mas também inclui saber ouvir.

Neste ambiente de intensa transformação e mudança em que vivemos, precisamos de um perfil aberto ao novo, flexível e com disposição para aprender
Jordana Albuquerque

Outras habilidades bastante valorizadas pelos gestores de RH são empatia, saber receber críticas, lidar bem com a diversidade, capacidade de trabalho em equipe e liderança.

3) CONCILIE CONHECIMENTO TEÓRICO E PRÁTICO

Uma das dificuldades encontradas pelas construtoras é encontrar profissionais que combinem conhecimento teórico e as metodologias para gerir processos com a visão prática e a disposição para vivenciar a obra. Encontrar esse perfil nem sempre é fácil. Primeiro porque muitos dos profissionais que se formam nas universidades, não se interessam pelo trabalho em campo. Depois, porque a faculdade é apenas uma parte da formação. Há muito a aprender depois da formatura.

Nesse contexto, “ser curioso e saber integrar conhecimentos técnicos adquiridos na faculdade com o dia a dia na empresa são habilidades muito bem-vindas”, afirma Rubia Moreira, da MPD.

Para quem ainda está na faculdade, uma dica é buscar tirar proveito dos projetos que visam aproximar a academia das empresas. “Esse tipo de parceria traz uma mudança de perspectiva positiva e faz com que o jovem tenha uma visão mais ampla do mercado. Tende a gerar, ainda, mais oportunidades”, acrescenta Jordana Albuquerque, da HM.

Ser curioso e saber integrar conhecimentos técnicos adquiridos na faculdade com o dia a dia na empresa são habilidades muito bem-vindas
Rubia Moreira

4) ESTUDE NOVAS TECNOLOGIAS E MODOS DE FAZER

Outro desafio enfrentado pelas construtoras na seleção de talentos é encontrar os perfis mais especialistas, com alto nível técnico ou com habilidades muito específicas. “É mais difícil encontrar profissionais que tenham experiência em métodos construtivos inovadores, tais como parede de concreto ou wood frame, por exemplo. A quantidade desses profissionais no mercado é pequena e aqueles que já têm repertório e experiência, tendem a já estar bem colocados”, revela a superintendente de Gente e Gestão da HM Engenharia. Então, fica a dica: conhecimento sobre novas tecnologias construtivas, mesmo que teórico, pode ser um diferencial competitivo.

Colaboração técnica

Rubia Moreira
Rubia Moreira — Graduada em letras e em psicologia, é mestre em comportamento das organizações pelo Instituto Superior de Psicologia Aplicada de Lisboa, em Portugal, e gestora de recursos humanos da MPD Engenharia.
Jordana Albuquerque
Jordana Albuquerque — Graduada em administração com especialização em gestão estratégica de pessoas pela FIA-USP e em políticas e práticas em RH pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). É superintendente de Gente e Gestão da HM Engenharia.