Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

O que é concreto de alto desempenho?

Características como durabilidade, integridade, trabalhabilidade e estética se associam à alta resistência mecânica e podem ser consideradas na designação desse tipo de material

Publicado em: 16/09/2022

Texto: Eric Cozza

foto de uma ponte de concreto vista de cima
Peças estruturais esbeltas e duráveis, com menor necessidade de manutenção e reparos, constituem uma das vantagens do concreto de alto desempenho. Tecnologia pode ser aplicada em diferentes tipologias construtivas, desde obras especiais, submersas e de infraestrutura até edifícios comerciais e residenciais (Foto: Shutterstock)

O concreto de alto desempenho é uma tecnologia capaz de aumentar a vida útil de estruturas de concreto armado, proporcionar seções mais esbeltas e resistir melhor aos ataques químicos derivados da poluição em grandes centros urbanos.

Normalmente associado às soluções que exigem elevada resistência à compressão, o material pode ser uma opção eficiente em diversas situações, tais como estruturas que demandam baixa permeabilidade, maior módulo de elasticidade ou exposição a ambientes agressivos ao concreto, como obras submarinas.

A tecnologia vem, aos poucos, ampliando mercado no Brasil, com perspectivas de maior durabilidade e menor necessidade de manutenção e reparos. Para nos ajudar a entender melhor o assunto, convidamos para o podcast AEC Responde o engenheiro civil Leonel Tula, especialista em avaliação e recuperação estrutural e diretor da Onsite Estruturas. Confira a entrevista na íntegra.

AECweb Responde – O que é concreto de alto desempenho e quando costuma ser indicado?

Leonel Tula – São concretos de qualidade diferenciada em relação aos comuns, aqueles que as usinas oferecem na prateleira, com valores tabelados, que exigem pouco do laboratório ou de consultores em tecnologia de concreto. Importante recordar que, em 1995, considerávamos como concreto comum aquele girando em torno de 25 a 30 MPa. Isso, hoje, foi para 40 a 50 MPa. O concreto comum foi se adaptando às exigências do mercado e, cada vez mais, vai se aproximando de um material que seria diferenciado há duas ou três décadas. O concreto de alto desempenho procura atender requisitos específicos: resistência à compressão, módulo de deformação, baixa retração, consistência diferenciada – pode ser um concreto autoadensável ou concreto seco compactado a rolo – baixa permeabilidade e durabilidade. Isso tudo conduz a um produto com menor necessidade de manutenção, melhor controle de exsudação e de fissuração e até com maiores exigências estéticas, utilizando materiais para um melhor acabamento, como cimento branco, colorido e concreto translúcido. Você já tem aí uma outra família, mais voltada para o desempenho estético do que para as outras características mecânicas. E quando os materiais não são mais aqueles corriqueiros, de prateleira, e não dão mais conta dos requisitos solicitados, temos que procurar uma tecnologia diferenciada. Para isso, não basta a questão dos materiais. Muitas vezes, temos que mudar a técnica de aplicação: a temperatura de água da mistura, a ordem de aplicação dos aditivos, a maneira que executamos o lançamento, a compactação, a necessidade de uma cura térmica, o acabamento até os sistemas de fôrmas. Então, consideramos de alto desempenho todo o concreto que requer um tratamento especial na escolha de materiais, na dosagem ou técnica de aplicação, com o objetivo de atender determinados requisitos de projeto. Estamos falando de concreto para pilares de edifícios altos com resistência de compressão elevada, entre 70 a 100 MPa ou acima. São concretos para lajes de grandes vãos, com módulo de deformação secante acima de 40 GPa (gigapascal) para 70% da resistência característica, por exemplo. Concretos para pisos de elevadas cargas, com alto tráfego de empilhadeiras e controle de fissuração. Concretos para vertedouros de usinas hidrelétricas, que precisam ter resistência a efeitos de cavitação. Ou para estruturas marinhas ou subterrâneas, que precisam ser resistentes aos sulfatos e à ação dos cloretos. São concretos de baixa permeabilidade, com boa reserva alcalina, capazes de evitar reações de expansão, de adiar o processo de corrosão em contato com umidade e contaminantes do meio. São requisitos bem diversos e que geram linhas de pesquisa, de trabalho e desenvolvimento técnico bem diferenciadas.

A primeira coisa que nos vem à mente são os produtos constituintes: cimentos especiais, adições reativas, agregados especiais, aditivos... só que aí esquecemos das técnicas para aplicar tudo aquilo, ou seja, a maneira de controlar o processo e o resultado
Eng. Leonel Tula

AECweb Responde – Como se obtém o concreto de alto desempenho? E quais são os principais cuidados de projeto e de execução?

Tula – O concreto de alto desempenho pressupõe tecnologia. Então, isso envolve pessoas, produtos e processos. Primeiro, profissionais com conhecimento técnico sobre a tecnologia de concreto e os procedimentos de concretagem. Repare que eu não menciono somente o concreto, mas também a concretagem, ou seja, a técnica para aplicar. Não adianta apenas conhecer o material no laboratório. Temos que estudar a técnica disponível para a sua aplicação e, em alguns casos, as que precisam ser desenvolvidas especificamente para determinado uso. Devemos conhecer também as técnicas e ferramentas de controle tecnológico, que são importantíssimas. E se preparar para saber o que fazer quando as respostas do controle não são satisfatórias. Então, eu encaro o concreto de alto desempenho não apenas como concreto, mas também como concretagem. E precisa ser assim, algo tratado com um planejamento especial. A primeira coisa que nos vem à mente são os produtos constituintes: cimentos especiais, adições reativas, agregados especiais, aditivos... só que aí esquecemos das técnicas para aplicar tudo aquilo, ou seja, a maneira de controlar o processo e o resultado. Tão importante quanto os materiais é trabalhar nessas técnicas. Sem as pessoas, os produtos e os processos adequados, não implementaremos, em escala, os concretos de alto desempenho nas obras.

As pessoas também perguntam para o AEC Responde: O que é a cura do concreto e qual é o risco de dispensá-la?

AECweb Responde – O concreto de alto desempenho pode ser aplicado em diferentes sistemas construtivos: convencional, pré-moldados e parede de concreto, por exemplo? Onde se encaixa melhor?

Tula – Costuma se encaixar melhor onde conta com condições de contorno mais bem definidas, ou seja, onde será mais fácil a implementação, quando você tem fôrmas controladas e laboratório à disposição, por exemplo. A indústria de pré-fabricados, os pré-moldados in loco ou os processos semi-industrializados, como o sistema de parede de concreto, apresentam facilidade para utilização desse produto mais sofisticado. Nessas condições, precisando de um concreto de alto desempenho, haverá menos dificuldades. Já em obras convencionais, com projetos sempre diferentes, há uma certa dificuldade para amarrar os processos. Mas isso não pode ser uma barreira. O processo deve ser fatiado, de modo a cercar as dificuldades. Processos complexos devem ser uma composição de pequenos procedimentos preestabelecidos, treinados e implementados. Não dá, realmente, para pular etapas.

AEC Responde: envie sua dúvida técnica sobre construção, engenharia civil e arquitetura

Colaboração técnica

Leonel Tula – Especialista em patologia das edificações, corrosão e perda de desempenho estrutural. Diretor da Onsite Estruturas, empresa de consultoria e execução de obras de recuperação. Atua há mais de 25 anos na área, com experiências em projeto, pesquisa e consultoria. Engenheiro civil e arquiteto, formado em 1988 pela Universidade de Construção de Moscou, com doutorado em engenharia pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, em 2000. Professor de graduação e pós-graduação. Possui diversas publicações sobre o tema.